16 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Ocorrência Segurança

Autoescola é fechada em Canoinhas após denúncias de fraude; confira

A investigação acontecia desde 2016

Uma autoescola em Canoinhas foi impedida de funcionar na tarde da última quarta-feira (7), após denúncias feitas ao Departamento de Trânsito de Santa Catarina (Detran-SC) que teriam comprovado a ocorrência de fraudes nas aulas de direção veicular, caracterizando atos de improbidade administrativa. O estabelecimento afirmou que vai recorrer.

O Centro de Formação de Condutores foi fechado por agentes da corregedoria do Detran de Florianópolis, que foram encaminhados até Canoinhas, para cumprir a ordem de fechar o estabelecimento.

Segundo informações do delegado responsável pelo caso, Eduardo Borges, a Autoescola esta sendo investigada desde 2016 e o resultado desse processo culminou no fechamento do estabelecimento, após a investigação acusar que a Autoescola estava atuando de maneira “desalinhada às normas do Detran”.

 

Os alunos que estão em processo de formação podem continuar suas aulas em outro local, sem precisar recomeçar o curso, e sem prejuízos financeiros. Processos já concluídos, no aguardo da carteira de motorista, não serão interrompidos. As carteiras estarão disponíveis dentro do prazo acordado na Delegacia de Canoinhas.

Para a corregedora-geral do Detran, Fedra Luciana Konell Alcântara da Silva, ações como essa ocorrem sempre que ilegalidades são praticadas e após o devido processo legal, constatados pela Corregedoria do Detran, na prestação de serviços por pessoas físicas ou jurídicas, que exercem atividades delegadas pelo Órgão Executivo de Trânsito, por meio do chamado credenciamento.

“Estamos para cumprir a determinação do presidente Kennedy Nunes, que é de melhorar a prestação de serviços dos nossos credenciados, tão importantes, na formação de novos condutores”, explica.

Empresa se posiciona

Em nota para a imprensa a Autoescola afirma estar tomando todas as medidas necessárias para reverter a situação. A empresa também afirmou que os alunos não serão prejudicados pelos acontecimentos.

Confira a nota completa:

Foto: Secom/Reprodução