12 de abril de 2024
TV Barriga Verde
Cotidiano

Benefício que auxilia mulheres vítimas de violência na reconquista da autonomia completa um...

Nesta quinta-feira (4) o Benefício De Acolhimento, regulamentado pela Prefeitura de Florianópolis por meio do Decreto Nº 23.101, de 4 de agosto de 2021, completa um ano de existência. Criado para auxiliar mulheres vítimas de violência que estão em serviços de acolhimento no município, além de jovens que irão completar 18 anos e precisam sair dos abrigos, o benefício busca incentivar a autonomia financeira e a inserção dessa população no mercado de trabalho. 

Desde sua criação, mais de 10 mulheres já foram beneficiadas, como é o caso de Julieta (nome fictício). Vítima de ameaças e agressões do ex-companheiro, esteve acolhida na Casa de Passagem para Mulheres em Situação de Violência e, através do benefício, pode dar os passos necessários para reconquistar sua independência. 

“Me ajudou muito, pois sem o auxílio eu não conseguiria sair da casa de acolhimento tão cedo, sendo fundamental no processo para refazer minha vida. Logo consegui emprego e hoje estou em uma nova etapa. Sou muito grata e torço para que o benefício continue ajudando outras mulheres, mostrando que elas não estão sozinhas”, disse Julieta.

Entenda como funciona o benefício

Disponibilizado pelo prazo de seis meses, com possibilidade de prorrogação por mais três, o benefício, com parcelas no valor de um salário mínimo, é concedido pela Secretaria Municipal de Assistência Social, através de análise da equipe técnica. O auxílio é oferecido quando há a constatação de que a permanência da mulher nos serviços de acolhimento é decorrente da ausência temporária de moradia ou local para residir. 

“Renda e moradia são fatores que influenciam nos ciclos de violência pelos quais passam muitas das mulheres que buscam os nossos serviços. Se há controle desses aspectos pelos parceiros, existem ameaças de desamparo. O Benefício Desacolhimento surge como uma possibilidade para que elas tenham segurança sobre essa questão no momento de recomeço, longe dos agressores”, destaca a secretária de Assistência Social, Maria Cláudia Goulart.

Depois de acessar o benefício, cada mulher é acompanhada pelas equipes técnicas para possíveis orientações e a garantia de que o valor seja utilizado com gastos para os quais ele se destina. Ao todo, 20 vagas estão disponíveis para acesso, cobrindo 100% da demanda atual do público de direito na cidade.

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano