12 de abril de 2024
TV Barriga Verde
Economia

Brasil tem alta de 86,3% nas exportações, em setembro; entenda

O superávit da balança comercial brasileira subiu 86,3% em setembro, até a segunda semana do mês, atingindo US$ 2,34 bilhões. Os dados foram divulgados na segunda-feira (12) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia, e apontam as variações pela média diária, em relação ao mês de setembro de 2021.

A corrente de comércio no período aumentou 32,6% e alcançou US$ 16,80 bilhões, refletindo os aumentos de 37,4% das exportações, que atingiram US$ 9,57 bilhões, com destaque na agricultura, indústria extrativa (minérios e metais) além de óleos/gorduras e combustíveis.

Com esses resultados, o superávit acumulado do ano, até a segunda semana de setembro, chegou a US$ 46,22 bilhões, recuando 11,5% em relação à média diária de janeiro a setembro de 2021. A corrente de comércio subiu 23,4%, atingindo US$ 422,71 bilhões, com US$ 234,46 bilhões de exportações, em alta de 18,8%.

Produtos em alta na exportação:

O crescimento das exportações em setembro, até a segunda semana, foi puxado pelo aumento dos embarques da agropecuária, que subiram 85,2%, chegando a US$ 2,10 bilhões. Os destaques foram os crescimentos nas vendas de milho não moído, exceto milho doce (+327,3%), café não torrado (+51,4%) e soja (+52,8%).

As vendas da indústria extrativa cresceram 5,3%, chegando a US$ 2,12 bilhões. As maiores altas do setor foram de minérios de cobre e seus concentrados (+77,1%), outros minérios e concentrados dos metais de base (+475,2%) e óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (+41,6%).

Também subiram as saídas de produtos da indústria de transformação (+38,7%), que atingiram US$ 5,23 bilhões. As principais altas foram registradas em açúcares e melaços (+67,2%), óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+135,4%) e gorduras e óleos vegetais, “soft”, bruto, refinado ou fracionado (+419,1%).

Fotos: Pixabey/Reprodução

Economia

Economia

Economia

Economia

Economia

Economia