21 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Policial

Casal recebe liberdade mas volta a ser preso por assassinato de amante

História é marcada por conturbado triângulo amoroso, fuga para cidade pequena
do interior catarinense e corpo encontrado boiando em rio de Itajaí

Presos preventivamente em 2022, um homem e uma mulher receberam liberdade provisória na tarde da última terça-feira (4), mas, poucas horas depois, tiveram outro mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). Suspeito de assassinar o amante da esposa em 2021, o casal foi capturado na tarde da última quarta-feira (5).

O caso data do dia 12 de novembro de 2021, quando um homem de 25 anos, iniciais N.T.G., saiu para trabalhar e não mais retornou. N.T.G. era amante de uma mulher com iniciais J.H., hoje com 33 anos, a qual é casada com outro homem, de inicias E.M., que hoje tem 47 anos. Segundo consta na investigação da Polícia Civil, o triângulo “amoroso” perdurou por meses, de forma conturbada, desde que N.T.G. e J.H. começaram a se relacionar, com diversos episódios de rompimentos e retornos e de violência e ameaças entre as partes.

Moradores de Blumenau, o trio se separou em meados de agosto de 2021, quando N.T.G. e J.H. fugiram e foram viver o romance no pequeno município de São Ludgero, de pouco mais de 13 mil habitantes. Foi então que N.T.G. sumiu, em novembro daquele ano. De acordo com a investigação, E.M. — o marido traído — foi atrás e, após discussão, matou N.T.G. estrangulado, em São Ludgero. E.M. teria colocado o cadáver de N.T.G. em seu veículo, descido até Itajaí, amarrado a vítima pelo pescoço e pelas pernas junto a um bloco de concreto e atirado seu corpo nas águas do rio Itajaí Mirim.

 

Nove dias depois, por volta das 18h de 21 de novembro de 2021, o corpo foi encontrado em avançado estado de decomposição. Segundo a polícia, J.H. — a esposa — mantinha contato com seu ex-marido, E.M., e o auxiliou na preparação do crime e na destruição de provas. Indiciado pelo crime de homicídio qualificado e ocultação de cadáver, o casal foi preso preventivamente no dia 3 de maio de 2022, em Itapema, Litoral Norte catarinense, onde estavam residindo.

Detidos no sistema penitenciário desde então, enquanto aguardava julgamento, o casal recebeu a liberdade provisória na última terça-feira (4), mas, após recurso do Ministério Público, que levou a novo mandado de prisão preventiva expedido pelo TJSC, E.M. e J.H. foram novamente presos. Desta vez, eles foram encontrados no município de Gaspar.

Foto: PCSC / Divulgação