26 de maio de 2024
TVBV ONLINE
Cotidiano

Com 50 mil pessoas presentes, Gilberto Gil encerra Maratona Cultural de Florianópolis

Artista se apresentou em show gratuito de comemoração ao aniversário da Capital catarinense

Do alto de seus 80 anos de idade, Gilberto Gil subiu ao palco na noite de domingo (26) para celebrar os 350 de Florianópolis. Para aproximadamente 50 mil pessoas, o artista baiano abriu o show com “Tempo Rei” e cantou uma seleção de seus maiores sucessos, durante mais de 1h30. O espetáculo marcou o encerramento da 9ª edição da Maratona Cultural e aconteceu na Avenida Paulo Fontes, no Centro da Capital.

Acompanhado de sua banda, com Marcelo Costa na bateria, Guilherme Lírio no baixo e na guitarra, Danilo Andrade no teclado e Mestrinho no acordeão, Gilberto também teve ao lado seus filhos Bem Gil, na guitarra e no baixo, e Nara Gil, no vocal de apoio. Veja galeria de fotos no fim da matéria.

Por diversas vezes, o público puxou cantos de “Gil, eu te amo”, carinho retribuído pelo artista. Mas a principal comoção aconteceu quando, em coro uníssono, a multidão entoou “cidadão honorário”, fazendo alusão a uma recente votação da Câmara Municipal de Florianópolis, que negou o título ao cantor e compositor.

 

Em primeiro momento, Gil sequer entendeu, e foi avisado por Mestrinho do que se tratavam os cantos. Logo, veio a resposta: “ainda ontem, em show no Rio, eu dizia que, para muitos religiosos e filósofos, o amor é mais difícil do que a morte”, disse o cantor.

Logo após a interação, uma faixa foi levantada, dizendo “Gil, desculpe pela elite do atraso desta ilha”. Com naturalidade, o artista pareceu não se importar: “tudo bem, tem quem não goste. Eu não tenho nada que desculpar”.

Depois do show, o Instituto Maratona Cultural publicou uma foto do artista com a legenda “Você é cidadão dos nossos corações!”. Já o prefeito de Florianópolis, Topázio Neto disse, pelo Instagram, que “Floripa é assim: cabe todos os gostos. No final do dia, não devemos esquecer jamais: somos todos filhos dessa terra, nascidos ou não”.

Antes do show, ainda em 24 de fevereiro, Topázio publicou um vídeo no qual chamava Gil de “patrimônio cultural do Brasil” e lembrou também o caso da prisão do artista em Florianópolis, em 1976. Por esse motivo, segundo o prefeito, outros artistas teriam boicotado a cidade, se recusando a se apresentar. No show do último domingo (26), Gil falou abertamente sobre o assunto.

“Quando eu fui preso, por porte de maconha, aqui em Florianópolis, fui julgado pelo doutor Ernani a cumprir uns dias de internação”, disse antes de começar a música Sandra, escrita na ala psiquiátrica. A letra de Sandra fala sobre as mulheres que “cuidaram muito bem” de Gil durante a internação na Capital catarinense.

Com a música “Toda Menina Baiana”, Gil se despediu do palco, torcendo para que “voltemos a nos encontrar muitas outras vezes”.

Setlist

Tempo Rei
A novidade
Não chore mais
Vamos fugir
Esperando na janela
Respeita Januário
O xote das meninas
Só quero um xodó
Drão
Estrela
Esotérico
Palco
Andar com fé
Sandra
Aquele abraço
Nos barracos da cidade
Maracatu atômico
Madalena
Toda menina baiana

Confira mais fotos do show

Fotos: Lucas Fantinatti

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano