25 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Policial

Com penitenciárias alagadas, SC envia agentes penais para auxílio emergencial no RS

Com informações de Agência Brasil | Foto: Divulgação/SAP

Mais de 1 mil detentos foram transferidos para prisão de segurança máxima

Após mais de mil presos precisarem ser transferidos de unidades prisionais alagadas no Rio Grande do Sul, 30 policiais penais de Santa Catarina se preparam para partir em missão no estado gaúcho nos próximos dias. Eles vão prestar assistência emergencial a duas unidades prisionais severamente afetadas pelas maior tragédia climática já registrada no RS.

“Conversei com o governador Jorginho Mello e imediatamente fomos autorizados a enviar um grupo de apoio para o Rio Grande do Sul. Nos próximos dias, partirá um contingente altamente qualificado, com ampla experiência em procedimentos prisionais e treinamento operacional, que certamente será de grande valia para reforçar a segurança pública de nossos irmãos no estado vizinho”, declarou Carlos Alves.

 

Desde o início das ocorrências no Rio Grande do Sul, o secretário da Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa, Carlos Alves, tem acompanhado de perto a situação, mantendo contato constante com o secretário de Sistemas Penais e Socioeducativo (SSPS) do Rio Grande do Sul, Luiz Henrique Vianna, para monitorar o pronto apoio ao estado vizinho.

Penitenciárias alagadas

De acordo com a SSPS e a Polícia Penal gaúcha, 1.057 detentos da Penitenciária Estadual do Jacuí foram levados na última sexta-feira (3) para a Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas. Os demais presos da unidade de Jacuí permaneceram no local, instalados nos pisos superiores.

O superintendente dos Serviços Penitenciários do Rio Grande do Sul, Mateus Schwartz, explicou que das sete unidades prisionais localizadas em Charqueadas, três ficaram inundadas pela elevação do nível do rio Jacuí. No total, são 6 mil presos no complexo.

> Siga nosso canal no WhatsApp e receba as notícias do TVBVonline em primeira mão

Schwartz informou ainda que nenhum detento do regime fechado no estado foi solto em razão das enchentes e não foi registrada intercorrências nas penitenciárias.

Foto: SUSEPE/Divulgação

Tornozeleira eletrônica

A Justiça ainda autorizou que presos do semiaberto do Instituto Penal de Charqueadas fiquem no regime de prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica, pelo prazo de 20 dias. A unidade também ficou alagada.

Dentro de cinco dias, os presos devem se apresentar para a instalação do equipamento. Caso não compareçam, passarão a ser considerados foragidos, conforme Schwartz. Os detentos voltarão para a penitenciária no dia 23 de maio.