24 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Cotidiano

Conheça os melhores queijos artesanais de Santa Catarina

Trabalho de valorização do queijo artesanal levou SC a legalizar três produções artesanais

Um concurso inédito realizado pela Epagri no final desse mês de novembro, em Lages, na Serra Catarinense, premiou os melhores queijos artesanais de Santa Catarina. A grande conquista foi a Medalha Super Ouro, conferida ao melhor queijo artesanal inscrito, produzido pelo agricultor de Nova Veneza, José Carlos Semprebom. Dos 138 produtos avaliados, 14 receberam a premiação Ouro, 28 a Prata e 26 a Bronze. A escolha do Super Ouro foi feita entre os medalhistas Ouro.

A queijaria de José Carlos também levou duas medalhas Prata. Ele comemora a pontuação recebida pelos diferentes produtos enviados para o concurso. “Concorremos com queijos premiados internacionalmente e conseguimos a melhor premiação. Essa conquista é um reconhecimento da nossa qualidade, sabor e dedicação ao longo dos anos”, diz o produtor.

A comissão técnica do 1° Concurso Estadual dos Queijos Artesanais de Santa Catarina contou com profissionais com capacitação técnica em análise sensorial e conhecimento técnico do processo produtivo de lácteos. Profissionais ligados ao setor como técnicos, lojistas, chefs de cozinha, entre outros, integraram o júri.

 

Integrante da comissão organizadora do concurso, Andréia Meira Schlickmann ressalta que todos saem ganhando, independente da premiação. “Esse tipo de iniciativa avalia os queijos e devolve ao produtor as anotações dos jurados, no intuito de colaborar na melhoria de qualidade do produto. Os premiados ganham visibilidade e reforçam ao produtor que ele está no caminho certo”, diz ela.

Os queijos premiados no concurso são produzidos em 30 municípios catarinenses: Nova Veneza, Braço do Norte, Bom Retiro, Lajeado Grande, Orleans, Rancho Queimado, Iraceminha, Águas Mornas, Itapiranga, Petrolândia, Morro da Fumaça, Rio do Sul, São Joaquim, Capão Alto, Monte Castelo, Major Gercino, Pouso Redondo, Anitápolis, Timbó, Ponte Alta, Ipumirim, São José do Cerrito, Siderópolis, Ibiama, Correia Pinto, Timbó, Seara, Vargem Bonita, Piratuba e Biguaçu.

Foto: Divulgação/Epagri

 

Qualificação dos queijos artesanais em SC

A coordenadora do Programa Estadual Gestão e Mercados da Epagri, Telma Köene, ressalta que a Epagri vem trabalhando para a legalização e a qualificação dos queijos que, além de economicamente serem muito significativos, representam a história, a tradição e a cultura local. “As capacitações, concursos e trocas de experiências entre técnicos e agricultores são primordiais para a melhoria da qualidade dos queijos e real valorização dos costumes locais. Os técnicos precisam estar aptos e seguros para orientar os produtores, que por sua vez precisam entender os processos para produção de queijos com segurança e qualidade”, diz ela.

Andreia revela que no Estado, a notoriedade e a visibilidade do queijo artesanal despertou diversas iniciativas de trabalho, incluindo o escopo da valorização do queijo artesanal como um produto com identidade geográfica.

Essas iniciativas levaram Santa Catarina a legalizar três queijos artesanais: o Queijo Artesanal Serrano, com RTIQ e Indicação Geográfica – Denominação de Origem; o Kochkäse, queijo cozido da região de Blumenau, também com RTIQ; e o Queijo Diamante, legalizado no município de Major Gercino e com Selo Arte, atualmente em trabalho para obtenção de Indicação Geográfica.

“Nos três casos a Epagri teve papel fundamental, protagonizando os trabalhos. Porém ainda temos muitos queijos nas diversas regiões catarinenses, hoje denominados coloniais, que provavelmente tem características únicas e que necessitam de esforços para sua legalização e possível reconhecimento com algum signo distintivo”, argumenta Andreia.

Foto: Divulgação/Udesc

 

Simpósio de Queijos Artesanais

O concurso ocorreu no dia 30 de novembro, juntamente com o IV Simpósio de Queijos Artesanais, realizado nos dias 29 e 30. Os dois eventos fazem parte de estratégia para melhorar a qualidade e valorizar os queijos catarinenses, assim como trazer informações sobre o tema.

O simpósio teve mais de 250 inscritos entre produtores, técnicos, pesquisadores, queijeiros, profissionais da gastronomia e da comercialização de queijos. O evento abordou temáticas desde a produção, legislação, comercialização e valorização territorial. Contou com dezenas de palestrantes especialistas nos diferentes setores da cadeia produtiva de queijos de Santa Catarina e do Brasil.

O próximo concurso catarinense será em Agronômica e terá também um seminário estadual sobre o assunto, promovido pela Epagri. Já a quinta edição do Simpósio será em Brasília.

 

Foto: Divulgação/Epagri