13 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Policial

Contrabando de agrotóxico ligado a lesões pulmonares e mortes é alvo da PF

Fotos: Divulgação/PF

Produto trazido da Argentina era comercializado clandestinamente na região de Massaranduba

Um esquema de contrabando de um herbicida que contem o ingrediente ativo paraquate produzido na Argentina e comercializado ilegalmente na região Nordeste de Santa Catarina virou alvo de uma operação da Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (9).

O agrotóxico foi banido no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com base em uma avaliação do órgão em conjunto com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que identificou que a exposição ao paraquate provoca efeitos de extrema gravidade para a saúde humana, que podem levar até mesmo à morte mesmo se o contato ocorrer com doses pequenas.

 

A Polícia Federal cumpriu hoje três mandados de busca e apreensão em imóveis de integrantes do grupo localizados em Massaranduba, no Litoral Norte, e em Dionísio Cerqueira, na fronteira do Extremo Oeste.

A ação foi deflagrada após uma investigação iniciada em 2023 com a prisão em flagrante de um homem de nacionalidade Argentina que transportava grande quantidade do herbicida fabricado naquele país. O produto destinado à comercialização clandestina no município em Massaranduba e região.

> Siga nosso canal no WhatsApp e receba as notícias do TVBVonline em primeira mão

Os investigados responderão pelos crimes de importação, transporte e armazenamento de agrotóxico proibido e associação criminosa, cujas penas máximas podem chegar a nove anos de prisão.

Químico provoca lesões pulmonares

A nota técnica da Anvisa e da Fiocruz foi baseada em estudos que demonstram que a exposição ao paraquate pode provocar falência de múltiplos órgãos, em especial os rins, pulmões e fígado.

Nos rins, o produto causa insuficiência renal por necrose tubular, forma mais aguda da doença. Já no fígado, o ingrediente provoca insuficiência hepática, que impede o órgão de desempenhar suas funções normalmente.

O principal dano, no entanto, é no pulmão. Os casos mais graves apresentam derrame pelural transitório, infiltrados pulmonares, doença pulmonar cônica e fibrose pulmonar, uma doença progressiva, que culmina em falência respiratória e, na grande maioria das vezes, à morte.