12 de abril de 2024
TV Barriga Verde
Política

Dário Berger é vaiado durante ato de Lula em Florianópolis; confira

Neste domingo (18), o ex-presidente e candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) realizou um ato de campanha, por volta das 11h45, na Praça Tancredo Neves, em Florianópolis. O candidato estava acompanhado da esposa, Janja, do candidato a vice-presidente Geraldo Alckmin, da ex-presidente Dilma Rousseff, Manuela Dávilla, do candidato a governador de Santa Catarina, Décio Lima, além do candidato a senador, Dário Berger.

Os apoiadores do candidato já se organizavam no local, por volta das 9h. Apesar do número de pessoas não ter sido confirmado, não couberam todos na praça, por isso alguns apoiadores precisaram ficar na rua para acompanhar o ato.

Lula subiu no palco com várias autoridades políticas, além de líderes de entidades e movimentos que apoiam a sua candidatura. A ex-deputada Estadual do Rio Grande do Sul, Manuela d’Ávila, começou os discursos saudando os presentes, e incentivou a luta pelos próximos dias de campanha.

 

Ela citou o cantor Emicida e sua música que faz referência a Sujeito de Sorte, de Belchior, no trecho em que fala: “Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro, ano passado eu morri, mas esse ano eu não morro”.

Em seu discurso, Dilma Rousseff fez menção a Janja e seu amor pela música brasileira e por cultura. Elogiou a escolha de Alckmin para vice-presidente e foi aclamada pela público ao relembrar sua saída dramática da presidência do Brasil.

Durante seu discurso, uma pessoa teve um mal-estar e Dilma chamou um médico para ajudar. Ambulâncias e equipes de socorro estavam por todo o evento. Após retomar sua fala, ela fez duras críticas ao governo do atual presidente da república, Jair Bolsonaro.

O candidato ao Senado, Dário Berger, também discursou e foi vaiado pelos petistas ao subir no palco. Depois dele, foi a vez de Décio Lima, candidato ao governo catarinense, que falou sobre a fome no país e relembrou a prisão de Lula, em 2018.

Lula discursou por cerca de 40 minutos, começou saudando todos que estavam presentes, e elogiando o povo catarinense. Ele citou a economia criativa e exaltou o micro e médio empreendedor. Fez críticas ao atual governo, pedindo que Santa Catarina desse uma chance para Décio Lima, e citou o caso do reitor Luiz Carlos Cancellier, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que se suicidou após ser alvo de uma operação da Polícia Federal, sobre desvios de verbas, que foi encerrada por falta de provas.

Lula ressaltou que se eleito, em seu governo as pessoas acusadas de corrupção serão ouvidas, julgadas e se o crime for comprovado, serão presas. Durante o ato, a esposa de Lula, Janja, cantou para os petistas.

Confira imagens do ato:

 

 

 

 

Política

Política

Política

Política

Política

Política