13 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Ocorrência

Defesa Civil e PRF distribuem alimentos no Morro dos Cavalos após deslizamento

Foto: Divulgação/PRF

Pessoas ficam presas na área por até 72 horas sem previsão de liberação da via

Nesta segunda-feira (15), a Defesa Civil de Santa Catarina e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) distribuíram comida e água aos motoristas e passageiros afetados pelo deslizamento de terra que bloqueou o tráfego no Morro dos Cavalos, na Grande Florianópolis. O incidente que ocorreu no sábado (13), resultou em mais de 15 quilômetros de congestionamento, com pessoas retidas na área por até 72 horas sem previsão de liberação da via.

O secretário da Defesa Civil, Coronel Fabiano de Souza, destacou que, embora a entrega de alimentos não seja uma prática comum para a entidade, a situação causada pelas intensas chuvas e os subsequentes deslizamentos de terra justificam essa medida. A operação de auxílio ocorreu na tarde desta segunda-feira (15), visando minimizar as dificuldades enfrentadas por aqueles presos no congestionamento. No local, os policiais em colaboração com a Defesa Civil distribuíram água mineral, frutas e alimentos de consumo rápido.

 

Histórias na fila

A interdição da BR 101 pegou muitas pessoas de surpresa. Uma delas foi o coordenador técnico da equipe de Karatê da Fundação Municipal de Esportes de Criciúma, João Cândido. Ele está acompanhando uma comitiva de atletas que participou do Campeonato Brasileiro em Joinville. O grupo partiu na última terça-feira (9) para o Norte do Estado e, no retorno, ficaram presos na fila desde a tarde de domingo (14).

O grupo é formado por 20 pessoas, sendo 12 atletas de 10 a 19 anos, cinco pais e dois técnicos. “Ficamos na fila desde as 14 horas de domingo”, comentou o coordenador. Segundo ele, a Prefeitura de Palhoça ofereceu abrigo em um ginásio do município, mas a equipe está aguardando veículos da Prefeitura de Criciúma que seguem para Palhoça através de Lages. “Agradecemos à Prefeitura de Palhoça pelo apoio e também à Fundação de Esportes de Criciúma que enviou os veículos”, completou.

Foto: Arquivo pessoal

 

Outro caso que demonstra a complicada situação na região envolve um grupo de turistas argentinos que, retornando ao país vizinho, acabaram ficando presos na fila. Após quase 48 horas de espera dentro de um ônibus, a intervenção da PRF possibilitou o embarque do grupo em outro veículo, escoltado pelas autoridades, rumo a Balneário Camboriú.