15 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Paulo Chagas

Dengue em SC: problema que vai além do debate

Colegiado quer reunir dados e trabalhar em uma campanha ostensiva em todo o Estado / Foto: Giovanni Kalabaide

A secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto (Cidadania), admite estar como candidata à Prefeitura de Lages, neste próximo pleito, porém, a preocupação dela, no momento, é combater a dengue. A sociedade tem e deve obrigação de também colaborar na eliminação dos focos. O problema é muito sério. Tanto, que a Comissão de Saúde da Alesc, também se reuniu nesta última quarta-feira (21), para tratar do tema. O avanço da dengue em Santa Catarina, que contabilizou um aumento em 650% dos casos prováveis em 2024, de acordo com a divulgação da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) catarinense, teve atenção especial, no Parlamento. Saber o cenário epidemiológico e quais as ações previstas foram as primeiras solicitações feitas à Dive, ou seja, algo que deve ser prontamente providenciado. Se bem que os autores da saúde estão há muito tempo atuando diretamente no campo, na tentativa de combater o mal da dengue. De parte da Alesc, a obtenção de dados, servirá para estimular uma campanha ostensiva de conscientização.

Alesc debate dependência química dos moradores de rua

Deputado Lucas Neves (Podemos) e Deputado Marcius Machado (PL) / Foto: Vicente Schmitt / Agência AL

A problemática dos dependentes químicos em situação de rua, que tem desencadeado um aumento da violência em Santa Catarina, será discutida no Seminário Estadual de Política sobre Drogas na Assembleia Legislativa. Este evento, agendado para junho, mês de conscientização sobre o tema, foi aprovado nesta quarta-feira (21) pela Comissão Antidrogas, liderada pelo deputado Lucas Neves (Podemos). Além do Seminário, a Comissão planeja realizar um ciclo de palestras de prevenção ao uso de drogas nas escolas públicas. Em 2023, a iniciativa alcançou mais de 15 mil estudantes catarinenses.

PT de Lages ensaia formação de chapa nas eleições

Foto: Adriana Palumbo

O Partido dos Trabalhadores (PT), de Lages esteve reunido na última terça-feira (20), com o vice-presidente do Diretório Estadual. Na ocasião abriu-se o debate sobre a participação no pleito de outubro. O Partido deve decidir sobre a participação numa chapa majoritária e proporcional de vereadores. A assessoria informou que já existem nomes ventilados e que a composição está em fase de construção, porém, já com o processo maduro, a partir das análises dos cenários eleitorais feita com os demais filiados.

Enquanto isso, na Câmara de Vereadores de Lages

Foto: Bruno Heiderscheidt de Oliveira

Normalmente, como de costume, os vereadores sempre votam o reajuste dos salários no término do ano, e especialmente no final da Legislatura. No entanto, desta vez, em Lages, a decisão pelo reajuste dos seus vencimentos ocorreu cedo. Foi apenas na quarta sessão de 2024. Eles decidiram em reajustar os salários em 4,62%, retroativo ao mês de janeiro. Pelo que consta, apenas um vereador foi contrário à majoração. Em se tratando de mais dinheiro, os demais opositores, silenciaram, e aceitaram o reajuste de bom grado. Vale lembrar que os servidores ativos da administração direta, autárquica e funcional e aos inativos e pensionistas já tiveram aumento de 6% autorizado pela Prefeitura, em maio de 2023. Esse aumento, também beneficiou os vereadores.