14 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Policial

Desvio de dinheiro público para pagar cabos eleitorais é investigado em Pescaria Brava

Foto: PCSC/Divulgação

Ex-prefeito e empresário de Laguna são alvos da Operação Expiravit

O ex-prefeito de Pescaria Brava, no Sul de Santa Catarina, Deyvison Souza (MDB) foi alvo da quarta fase da Operação “Exspiravit”, deflagrada nesta quinta-feira (20) pela Polícia Civil. A ação tem como objetivo apurar o desvio de dinheiro público, superfaturamento e outras fraudes cometidas para o pagamento de cabos eleitorais.

A Operação cumpriu oito mandados de busca e apreensão e o sequestro de R$ 1,7 milhão em bens, entre cinco veículos automotores, e dois imóveis dos investigados nas cidades de Tubarão e Laguna.

 

As três primeiras fases da Operação Expiravit ocorreram em completo sigilo. Segundo a Polícia Civil, a primeira delas foi deflagrada em novembro de 2023 e teve como alvo a Prefeitura de Pescaria Brava. A segunda delas foi em janeiro deste ano e mirou imóveis no município de Joinville. Já a terceira fase, e que culminou na expedição de 20 mandados de busca e apreensão, foi executada nos municípios de Laguna, Pescaria Brava e Criciúma.

Dinheiro era desviado para pagar cabos eleitorais

De acordo com as investigações, entre os anos de 2020 a 2022, o ex-prefeito Deyvison Souza teria se associado com um empresário de Laguna, vencedor de diversas licitações lançadas pela Prefeitura de Pescaria Brava. Segundo a PCSC, o objetivo específico seria o desvio de verbas públicas, que seriam usadas para o pagamento de servidores das Secretarias de Educação e Obras.

Ainda segundo a Polícia Civil, o dinheiro desviado foi utilizado para remunerar diversos apadrinhados políticos e cabos eleitorais com o intermédio da empresa investigada. A investigação constatou também também o superfaturamento desses contratos administrativos em até 50% em relação aos serviços efetivamente prestados.

Um dos exemplos revelados pela investigação são pagamentos realizados pelo município ao pai de um vereador da cidade de Joinville, no Litoral Norte do estado, que raramente viajava a lazer para Pescaria Brava.

Prefeito preso na Operação Mensageiro

Deyvison Souza (MDB) já havia sido preso na primeira fase da Operação Mensageiro, deflagrada em dezembro de 2022. A operação investiga fraudes em licitações para a coleta de lixo em diversas cidades de Santa Catarina e teve, ao todo, 16 prefeitos presos ao longo das quatro fases.

> Siga nosso canal no WhatsApp e receba as notícias do TVBVonline em primeira mão

O ex-prefeito de Pescaria Brava segue cumprindo prisão cautelar com o uso de tornozeleira eletrônica.