29 de maio de 2024
TVBV ONLINE
Esportes

Entre Fórmula 1 e Fórmula E, Felipe Drugovich procura por vaga para 2024

Reserva na Aston Martin em 2023, brasileiro entrou no radar da F-E após teste com a Maserati

O ano de 2023 ainda nem chegou à metade, mas Felipe Drugovich já avalia um destino para a temporada 2024. A prioridade: uma vaga para disputar alguma categoria de ponta do automobilismo mundial.

“No ano passado, eu realmente esperava vencer o campeonato (da Fórmula 2) e talvez conseguir uma vaga na F1”, disse o paranaense, que faturou o título da F-2 em 2022, em entrevista ao site Total-Motorsport.com. “Não consegui (a vaga de titular na F1), mas consegui uma vaga de reserva.”

Sem um lugar no grid, Drugovich assumiu o posto de piloto de testes da Aston Martin. Além disso, em abril, pilotou pela Maserati em um teste de novatos da Fórmula E, com direito a melhor tempo do dia na atividade em Berlim.

 

“Ainda estou procurando por isso (vaga na F1) e ainda estou trabalhando com a Aston Martin. Sou muito grato por oportunidade, como a que tive com a Maserati”, disse. “Estou apenas esperando a oportunidade chegar, e depois veremos o que temos, para escolhermos qual é a coisa certa.”

Apesar da busca por outras oportunidades, o brasileiro deixou claro que tem aproveitado as oportunidades na Aston Martin. Na pré-temporada da F1, no Bahrein, ele foi chamado para substituir o canadense Lance Stroll, titular da equipe, que havia se machucado após um acidente ciclístico na Espanha.

“Acho que a Aston foi a única que realmente me deu uma oportunidade, com testes e boas oportunidades. Então, estou gostando muito disso”, afirmou.

Futuro na Fórmula E?

O teste pela Maserati fez aumentar a cotação de Drugovich na Fórmula E. O brasileiro elogiou a categoria elétrica, mas despistou a respeito de um acerto.

“Fora da Fórmula 1, há grandes categorias, como a Fórmula E. Então, só precisamos esperar e ver o que acontece”, disse.

Um eventual acerto com a Fórmula E, no entanto, não inviabilizaria as chances de Drugo na Fórmula 1. A principal referência é Nyck de Vries, que foi campeão da F-2 em 2019 e venceu o título da F-E na temporada 2021/2022 antes de estrear como titular na F1 pela AlphaTauri em 2023.

“De Vries tem 28 anos, e eu ainda tenho 22, então ainda tenho tempo”, comparou, sem pressa. “Acho que as equipes de F1 estão tentando escolher pilotos experientes.”

Fonte: Band
Foto: Aston Martin/F1/Reprodução
Esportes

Esportes

Esportes

Esportes

Esportes

Esportes