17 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Saúde

Florianópolis registra queda nos casos de HIV e Aids; conheça medidas de proteção

Município é destaque na luta contra o vírus e é pioneiro em diversos projetos.

Florianópolis teve uma redução de mais de 20% de novos casos de HIV e mais 26% nos casos de Aids entre 2019 e 2022. Os números foram divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde nesta sexta-feira (1º), que aponta os dados como resultado de políticas de incentivo à prevenção combinada, tratamento imediato e combate ao preconceito, estigma e desinformação.

Em Santa Catarina, os números apresentam estabilidade. No ano de 2021 foram notificados 3.562 novos casos de HIV, em 2022 foram 3.468 e, em 2023, até o mês de novembro, foram 2.746. Adultos jovens com idade entre 20 e 29 anos são os mais infectados, seguido da faixa etária de 30 a 39 anos. Com relação ao sexo, no ano de 2022, 1.555 homens foram infectados pelo vírus HIV, em comparação a para mulheres.

Nesta sexta-feira é celebrado o Dia Mundial de Luta contra a Aids. Florianópolis dá início à campanha Dezembro Vermelho, movimento nacional para prevenção ao HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST). A primeira atividade ocorre hoje na Passarela Nego Quirido, entre às 15h30 e 20h30.

 

A iniciativa terá ações de prevenção à saúde sexual e reprodutiva para pessoas em situação de rua, consideradas populações vulneráveis ao HIV. Entre as atividades previstas estão testagem rápida para HIV, sífilis, Hepatites B e C, diagnóstico e início de tratamento, além de atendimentos em PEP e PrEP.

Outras iniciativas, que são promovidas durante todo o ano, tornam Florianópolis destaque na luta contra o HIV, sendo município pioneiro em diversos projetos. As medidas, realizadas por meio da iniciativa “Pare o HIV Floripa”, são:

Testagem para HIV e ISTs

Testes rápidos de HIV, sífilis, hepatites B e C são indicados para adultos e adolescentes que possuem vida sexualmente ativa, devendo ser realizados pelo menos uma ou duas vezes por ano. Em casos de práticas de risco, como relações sexuais sem preservativo, esses exames devem ser feitos com mais frequência.

Estão disponíveis nos Centros de Saúde e podem ser agendados por meio do Alô Saúde Floripa ou com a equipe de Saúde da Família na unidade de referência. Também é possível realizar nos quatro Centros de Testagem e Resposta rápida (CTRr), por meio deste link ou no WhatsApp: CTRr Centro (48 99121 5517 ou 48 99111 7102), CTRr Continente (48 99959 3242), CTRr Norte (48 98849 4499) ou CTRr Sul (48 99603 4203).

 

Autotestes para HIV

Residentes de Florianópolis também podem solicitar autotestes de HIV pelo site www.ahoraeagora.org. Os testes podem ser recebidos pelo correio, retirados em um armário digital, localizado no Terminal Rodoviário Rita Maria, ou unidade de saúde. A iniciativa é uma parceria com o projeto “A Hora é Agora”.

 

Tratamento para HIV

Pessoas vivendo com HIV podem iniciar o tratamento e realizar cuidados de rotina no Centro de Saúde com médicos e enfermeiros devidamente qualificados, sendo possível escolher qual unidade realizar o acompanhamento. Situações de maior vulnerabilidade e complexidade contam com apoio da equipe de infectologistas dos CTRr, após encaminhamento do Médico de Família.

Uma pessoa que vive com HIV, recém diagnosticada, inicia o tratamento no mesmo dia. Para conhecer os serviços dos CTRr, acesse o site do Centro de Testagem e Resposta Rápida Centro.

 

Resgate do tratamento

O CTRr também faz busca ativa das pessoas vivendo com HIV que interromperam o tratamento ou ainda não iniciaram e oferecem agendamento de consulta para iniciar/reiniciar o acompanhamento.

Atualmente, oito mil pessoas estão em tratamento para HIV no município e cerca de 900 pessoas sabem que têm o vírus, mas não estão em tratamento. Por vezes, essa abstenção se dá por conta da desinformação e estigma em relação ao HIV. Um dos pontos importantes, neste sentido, é esclarecer que o início do tratamento, previamente, garante menores ou até nulas chances de adoecer pelo HIV. Os tratamentos são simples, eficazes e com poucos ou nenhum efeito colateral

O início ou reinício do tratamento para HIV também pode ser agendado pelo Alô Saúde Floripa no 0800 333 3233.

 

Comunicação de parceiras sexuais

A partir do diagnóstico de HIV, os enfermeiros que atuam no CTRr ofertam ao paciente serviço anônimo e sigiloso de aviso de suas parcerias sexuais. O paciente é livre para escolher opções diversas de comunicação com essas parcerias para que elas façam o teste de HIV.

 

Tratamento de HIV pelos correios

Outra ação inovadora, desenvolvida em parceria com o A Hora é Agora, é a entrega de medicamentos para pessoas vivendo com HIV pelos correios, de forma sigilosa no endereço escolhido. Florianópolis é a primeira cidade do país a oferecer esse serviço de forma oficial. Para acessar o serviço a pessoa pode entrar em contato pelo WhatsApp com o número (48) 9 9177-2669.

 

Prevenção combinada

A Secretaria Municipal de Saúde segue as mais modernas evidências do combate ao HIV e aplica o conceito de “prevenção combinada” quanto à disseminação do vírus, medida também indicada pelo Ministério da Saúde. A prevenção combinada possibilita que a pessoa escolha a melhor forma de se prevenir contra o HIV e “combine” os métodos mais vantajosos. Por exemplo, uso de preservativos, PEP e PrEP, realização de testagem regular e vacinação em dia.

Profilaxia pós-exposição (PEP): se uma pessoa tiver uma relação sexual desprotegida, seja porque não usou o preservativo ou porque o preservativo rompeu, ela pode fazer uso da PEP (Profilaxia Pós-Exposição ao HIV) em até 72 horas para prevenir de se infectar pelo HIV. O tratamento é oral, realizado durante 28 dias, e está disponível nos Centros de Saúde ou UPAS, e por meio do Alô Saúde Floripa.

Profilaxia pré-exposição (PrEP): outra medida importante de prevenção combinada é a PrEP, medicamento disponível pelo SUS (Sistema Único de Saúde) desde 2018. A PrEP, que pode ser usada a partir de 15 anos de idade, garante a proteção contra o HIV, mas não contra a sífilis e outras IST. Para iniciar a PrEP, é preciso agendar o atendimento através do site. Atualmente, a Secretaria Municipal de Saúde tem em torno de 2,8 mil pessoas em uso de PrEP.

Preservativos externos e internos e gel lubrificante: disponíveis gratuitamente em qualquer unidade de saúde do município.

 

Foto: Divulgação/DIVE