23 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Clima / Tempo

Frentes frias, ‘veranicos’ e chuvas pontualmente volumosas: veja a previsão para o outono

Estação que inicia nesta quarta-feira será marcada pela perda de força gradual do El Niño

O outono inicia na primeira hora desta quarta-feira (20) no Hemisfério Sul, mais precisamente à 0h06. Em Santa Catarina, projeções da Epagri/Ciram e da Defesa Civil apontam que os próximos três meses serão marcados por menos chuva do que nos últimos meses, ainda que próximas a acima da média e com volumes pontualmente elevados em alguns locais do estado.

Em abril, a chuva diminui ainda mais, com valores em torno de 100 mm na maioria das regiões. Em maio, com a proximidade do inverno, as frentes frias se tornam mais frequentes e os volumes de chuva voltam a aumentar no Grande Oeste, Planlto Sul e Litoral Sul, ficando entre 125 e 200 m, mas não passam dos 100 mm no restante do estado.

Nesta nova estação, o fenômeno El Niño perde força lentamente e a temperatura da superfície dos oceanos caminha para a neutralidade, quando não exercem mais fortes influência nos regimes de chuva e temperatura no estado. Apesar disso, a atmosfera demora para responder ao enfraquecimento do fenômeno e a transição ocorre de maneira gradual, o que mantém o risco de eventos extremos com chuva forte e totais elevados em curto intervalo de tempo, temporais com forte atividade elétrica, granizo e ventania.

 

Também a partir deste mês, ciclones extratropicais atuam com mais frequência no litoral do Uruguai, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, provocando vento intenso, mar agitado com ressaca e perigo para a navegação no litoral catarinense.

Temperatura

Para este outono, a previsão é de temperaturas próximas da média histórica em Santa Catarina. Por conta da atuação do El Niño, ainda há a possibilidade de dias consecutivos mais quentes, conhecidos popularmente como “veranicos”.

Apesar disso, episódios isolados com formação de geada ao amanhecer podem ocorrer nas áreas altas do Planalto Sul, ficando cada vez mais frequentes e estendendo-se às demais regiões do estado a partir de abril com a chegada das massas de ar frio ao Sul do Brasil.

 

Foto: Eelco Böhtlingk/Unsplash