21 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Política

Governador confirma transporte marítimo e metrô de superfície em SC: “por que não?”

Chefe do Poder Executivo mencionou a possibilidade de firmar parcerias público-privadas
como forma de viabilizar projetos de mobilidade urbana no estado

Em visita ao Grupo Barriga Verde na noite desta quarta-feira (19), o governador de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), apresentou o balanço dos seis primeiros meses de sua gestão no Estado, e, entre os diversos temas abordados, um dos que mais ganhou destaque foi a mobilidade urbana. Ao Portal TVBV, Mello afirmou que melhorias para o transporte público na Grande Florianópolis estão nas metas do governo e adiantou sua intenção tanto de construir um metrô de superfície quanto de implementar transporte marítimo na região.

Nós estamos tentando fazer transporte de aquaviário entre Florianópolis, Palhoça, São José e Biguaçu. Está na pauta do governo, não tenha dúvida. Enfim, a gente tem que encontrar outras alternativas, porque a própria ilha aqui em Florianópolis está congestionada, aqui é terror nos horários de pico — Jorginho Mello

Além do transporte por embarcações, o governador mencionou que, junto à Secretaria de Planejamento, cogita outras alternativas para a mobilidade terrestre catarinense, como um metrô de superfície para a região metropolitana da capital. “Por que não? A gente tem que ter ambição de fazer grandes obras e isso se faz começando. Obras de Estado, não de governo, obras que vão durar para sempre, que não terminam no governo, continuam no outro”, enfatizou Mello.

 

Isso existe já no mundo, é só copiar. Vamos copiar. Isso custa dinheiro? Custa dinheiro. Mas tem parcerias público-privadas, tem concessões, que você pode fazer misto e encontrar uma solução que venha ao encontro do que as pessoas precisam — Jorginho Mello

Segundo Jorginho, outras regiões do estado também podem ser beneficiadas por projetos de transporte público em sua gestão, “para desenvolver transporte compartilhado e outros tipos de modais”. O governador manifestou ainda sua insatisfação com a falta de fluidez no trânsito e prometeu “investir bastante e juntar cabeças importantes e inteligentes” para viabilizar soluções. “As pessoas sofrem muito, perdem muito tempo, perdem dinheiro, se irritam, prejudicam a saúde, quando o trânsito não ajuda”, lamentou.

No entanto, apesar de declarar “grande desejo de encontrar alternativas para facilitar a vida das pessoas”, o governador ainda não definiu prazo para o início dos projetos e disse que, por enquanto, são apenas ideias. “O Estado não tinha absolutamente nada de planejamento, agora a gente está planejando grandes obras, pequenas obras, médias obras. Então, não tem receita pronta, não tem prato pronto ainda”, ponderou.

Fotos: Marco Favero