19 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Paulo Chagas

Governo do Estado irá se instalar na Serra Catarinense em junho

Estação de Inverno lançada na Festa do Pinhão ganhará impulso do Governo do Estado / Foto: Roberto Zacarias / SECOM

O próximo dia 21 de junho é a data em que o Governo de Santa Catarina estipulou para se instalar simbolicamente na Serra Catarinense, especificamente em Lages e São Joaquim, onde irá permanecer por três dias. A intenção, segundo o governador Jorginho Mello é valorizar a Estação de Inverno, lançada na última sexta-feira (24), na abertura da 34ª Festa Nacional do Pinhão. As ações nas cidades visam potencializar as vinícolas e os vinhos de altitude, a cultura, a gastronomia e todos os equipamentos de turismo como pousadas e fazendas rurais. A ideia é impulsionar as potencialidades da Região, incluindo a presença da imprensa e influenciadores nacionais, além de empresários ligados ao setor, com a intenção de vender a imagem da Serra para outros estados. Por fim, de acordo ainda com o governador, isso tudo irá criar um impacto positivo e ampliar o desenvolvimento econômico da região a partir do turismo. Entre os projetos a serem anunciados, o da revitalização do Mirante da Serra do Rio do Rastro, em Bom Jardim da Serra.

Fórum Parlamentar Catarinense também agenda encontro na Serra

No próximo dia 7 de junho, o Fórum Parlamentar Catarinense, formado pelos três senadores e 16 deputados federais de SC estará em Lages, na Câmara de Vereadores. Será um encontro macrorregional da Serra em que serão debatidas as demandas da região, envolvendo ações junto ao Governo Federal. Dentre as pautas, a infraestrutura, saneamento, turismo, saúde, mobilidade urbana, educação e habitação. A informação foi repassada por Juarez Mattos, ligado ao gabinete do deputado Valdir Cobalchini, coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense.

Lucas Neves assume o comando estadual do Podemos

Lucas preside temporariamente o Podemos / Foto: divulgação

Será por apenas 15 dias. É que a presidente, a deputada Paulinha irá, nesse período, se dedicar ao apoio humanitário no RS. Ela optou pelo afastamento, mantendo apenas a atuação parlamentar nesse período, por conta do tempo que tem se dedicado para prestar apoio aos municípios do Rio Grande do Sul. Além do município de Eldorado do Sul, que foi adotado por Bombinhas e tem na parlamentar uma das lideranças para reconstrução da cidade, a deputada está dedicada em conectar catarinenses e gaúchos em várias outras localidades, colaborando com o movimento “Adote uma Cidade”. Além disso, a Secretaria e Procuradoria da Mulher da Alesc lançaram nesta semana uma nova campanha, também liderada pela deputada Paulinha com a deputada Luciane Carminatti, para adquirir kits com roupas íntimas e de higiene pessoal. Méritos!

Congresso analisa inúmeros vetos presidenciais

Deputados e senadores também vão analisar projetos de crédito orçamentário / Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

O Congresso Nacional (sessão conjunta de Câmara dos Deputados e Senado Federal) reúne-se na terça-feira (28), às 14 horas, para análise de vetos presidenciais e de projetos de lei que abrem créditos orçamentários extras propostos pelo Poder Executivo. São 26 itens na pauta. Entre os 17 vetos prontos para apreciação, estão itens adiados após negociações entre governo e oposição na sessão do último dia 9. É o caso do veto (VET) 46/21 à Lei 14.197/21, que revogou a antiga Lei de Segurança Nacional e foi parcialmente vetada pelo então presidente Jair Bolsonaro. O veto de Bolsonaro impediu a tipificação do crime de comunicação enganosa em massa (disseminação de fake news), com pena de até cinco anos de reclusão.

Saidinhas de presos

Em contrapartida para o adiamento, a bancada do governo pediu a retirada de pauta do veto parcial do presidente Lula à lei que restringe a saída temporária dos presos (Lei 14.843/24) do regime semiaberto. O VET 8/24, agora reinserido na lista de votações, excluiu da lei um trecho que retirava totalmente a possibilidade de o preso sair para visitar a família ou participar de atividades de convívio social. Também retornam à pauta o veto a vários pontos da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2024 (VET 1/24) e outro que exclui do Orçamento de 2024 a previsão de destinação de R$ 85,8 milhões para o Ministério das Comunicações investir em inclusão digital (VET 4/24). (Fonte: Agência Câmara de Notícias)