21 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Cotidiano

Grande Florianópolis amanhece sem transporte coletivo

Em toda região os pontos de ônibus ficaram lotados. Imagem: Flávio Jr / Portal TVBV Online.

Milhares de pessoas foram pegas de surpresa e lotaram as paradas de ônibus aguardando o retorno das atividades

Apesar da divulgação do estado de greve a paralisação, na madrugada desta quarta-feira (22), do Sintraturb (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Urbano e Rodoviário, Turismo, Fretamento e Escolar de passageiros) da Grande Florianópolis, surpreendeu milhares de pessoas na manhã de hoje (22). O movimento foi realizado entre as 4h e 7h, os pontos de ônibus ficaram lotados, A situação trouxe muitos transtornos para quem precisou do transporte coletivo nos municípios da região.

A atendente de farmácia, Priscila Siqueira, aguardava o ônibus desde as primeiras horas e afirmou que foi pega de surpresa. “Eu entro no trabalho as sete e não vou conseguir chegar no horário, estava tentando pediu um Uber mas o aplicativo dobrou o preço, então fui bem pega de surpresa mesmo”, comentou. Segundo ela, a empresa que trabalha foi avisada, mas vai ter que pagar hora devido ao atraso.

 

Pontos de ônibus lotados e muita espera. Imagem : Flávio Jr / Portal TVBV Online.

Já Iara Lazarim Martins, técnica de segurança no trabalho, tinha conhecimento da questão da negociação entra a categoria e as empresas e também do estado de greve, mesmo assim, foi surpreendida. “Eu não tinha a informação que a paralisação seria hoje e isso me pegou de surpresa. Tem muita gente dos pontos para pegar ônibus e faz parte da paralisação, é direito deles também”, completou.

Por volta das 7h os primeiros ônibus das empresas Estrela e Insular saíram das garagens. A previsão é que até o fim da manhã todos os coletivos estejam circulando. Sem os ônibus circulando, mais carros foram tirados das garagens e o trânsito na Grande Florianópolis ficou intenso com filas em diversos pontos desde o início da manhã.

Sem o transporte coletivo o trânsito ficou intenso. Imagem: Flávio Jr / Portal TVBV Online.

A categoria entrou em estado de greve na última quinta-feira (16) durante assembleia dos profissionais, a ação é uma forma de informar as empresas que a paralisação pode ocorrer em até 72 horas. De acordo com o sindicato, a paralisação foi realizada devido a falta de uma resposta satisfatória das empresas. Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial de 4,83% referente às perdas da pandemia e 5% de aumento real no salário e melhores condições de trabalho.