29 de maio de 2024
TVBV ONLINE
Cotidiano

Incêndio no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro afetou grande área de vegetação

O incêndio no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, que começou no último sábado 1º de abril e foi totalmente extinto no domingo (2)

De acordo com o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), por meio da análise técnica de imagens de satélite obtidas pela Gerência de Gestão de Informações Ambientais e Geoprocessamento ligada à Diretoria de Engenharia e Qualidade Ambiental do IMA, o incêndio afetou uma área aproximada de 90 hectares.

Para que o verde da vegetação volte a cobrir a área, o IMA em parceria com a co-gestora da Unidade de Conservação, Instituto Çarakura; o Instituto Tabuleiro, e demais instituições que fazem parte do Plano de Contingência (Placon) de enfrentamento aos incêndios na Baixada do Maciambú, planejam uma série de ações para restauração do local.

Uma delas é intensificar a fiscalização nas imediações do parque e reforçar o trabalho de conscientização da população para informar, orientar, e estimular as pessoas a adotarem comportamentos imprescindíveis à conservação ambiental como: não realizar queimada de lixo, entulhos, bitucas de cigarro em meio à vegetação, visto que, a maioria dos incêndios na área são provocados por ação humana intencional.

O plano agora será realizar técnicas de restauração com o apoio das equipes que atuam na unidade; comunidade; sociedade civil organizada e instituições de pesquisa, para que esse processo possa ser acelerado.

O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina atuou na ocorrência quando as chamas começaram. Com apoio da aeronave Arcanjo, além do esforço dos bombeiros em solo, foi possível conter as chamas no domingo, 2, e os últimos focos de fogo no Parque da Serra do Tabuleiro, na Baixada do Maciambú, no Sul de Palhoça.

No primeiro dia foram empenhados 33 bombeiros, entre militares e comunitários, com 11 viaturas e a equipe de Força-Tarefa 10, do Batalhão de São José, que é especializada em eventos extremos, atuando até as 20h, quando a situação entrou sob controle.

Durante a madrugada, uma equipe acompanhou a situação no local, até o início da manhã do dia 2, quando 25 bombeiros foram deslocados para o combate aos focos remanescentes, com seis viaturas.

Os focos foram completamente combatidos na manhã do dia 2, pelas equipes e com apoio da aeronave Arcanjo 01, que usou tanto a ferramenta bambi bucket, que realiza a coleta de água e despeja sobre as chamas, quanto o deslocamento de profissionais até os focos mais afastados, em que não era possível chegar por terra.

Fotos: Imagem de satélite – RedeMAIS/MJSP e ©2023Planet e CBMSC/Reprodução

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano

Cotidiano