26 de maio de 2024
TVBV ONLINE
Economia

Itajaí lidera geração de empregos no mês de março em Santa Catarina

No Brasil, São Paulo foi a cidade que mais gerou novos empregos, seguida por Rio de Janeiro e Belo Horizonte

Dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) indicam que Itajaí foi a cidade que mais gerou empregos durante o mês de março em Santa Catarina. O estudo mostra que o estado catarinense obteve resultados acima da média nacional, considerando a variação entre novas admissões e demissões no período. Jaguaruna, Joinville e Chapecó também se destacam no Estado.

Com 8546 novas admissões contra 7253 demissões, Itajaí teve um saldo positivo de 1293 pessoas empregadas em março e foi a primeira cidade catarinense a aparecer no ranking nacional, na 25ª colocação. No Brasil, São Paulo lidera, seguido por Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e, curiosamente, Paracatu, cidade do interior de Minas Gerais.

Em 36º lugar do ranking nacional, aparece Jaguaruna. O município foi o segundo melhor colocado catarinense, com 1484 admissões em março contra 409 demissões no mesmo período. Saldo positivo de 1075 empregos. Em seguida, Joinville aparece na 46ª colocação, com 12876 novas admissões contra 11996 demissões e um saldo de 880 empregos. Em 53º, Chapecó foi a 4ª melhor cidade catarinense no quesito geração de novos empregos no mês de março: 6159 admissões, 5388 demissões e saldo positivo de 771 empregos.

 

Considerando as variações entre admissões e demissões, todas as regiões do país registraram aumento no número de empregos gerados no mês de março. A média nacional ficou em 0,46% e, pouco acima dela, Santa Catarina marcou 0,50%. A região sul ficou entre as médias do Brasil e de Santa Catarina, com crescimento de 0,47%.

Confira a variação de cada região do Brasil

• Sudeste (+113.374 postos, +0,52%);
• Sul (+37.441 postos, +0,47%);
• Centro-Oeste (+22.435 postos, +0,60%);
• Nordeste (+14.115 postos, +0,20%);
• Norte (+10.077 postos, +0,49%).

Foto: Internet/Reprodução

Economia

Economia

Economia

Economia

Economia

Economia