19 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Saúde

Mortes por dengue em Santa Catarina ultrapassam 150

Foto: Agustin Marcarian

Casos prováveis da doença no estado já somam 245 mil

Santa Catarina já soma 151 mortes por dengue desde o início deste ano. O dado foi atualizado no informe epidemiológico divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde (SES), com dados atualizados até a última segunda-feira (6). Desde a atualização da semana anterior, foram confirmados mais de 40 óbitos pela doença.

Também segundo o informe, o estado contabiliza 245.073 casos prováveis de dengue desde 1º de janeiro de 2024. O número representa um aumento de 222,81% comparando com o mesmo período do ano passado. Na semana passada, Santa Catarina ultrapassou os 200 mil casos da doença.

 

Além das mortes confirmadas, 50 permanecem em investigação pelas Secretarias Municipais de Saúde com apoio da SES. Os óbitos em investigação são dos municípios de Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Blumenau, Brusque, Campo Erê, Florianópolis, Ipuaçu, Itajaí, Itapema, Joinville, Penha, São José, Tijucas e Xaxim.

Além disso, o informe epidemiológico revela que foram identificados 36.654 focos do mosquito Aedes aegypti em 244 municípios. Dos 295 municípios catarinenses, 166 são considerados infestados pelo vetor. A SES reforça que a principal medida de prevenção contra essas doenças, é a eliminação de possíveis criadouros do mosquito aedes aegypti, que são os locais com água parada.

> Siga nosso canal no WhatsApp e receba as notícias do TVBVonline em primeira mão

O diretor da Dive, João Augusto Brancher Fuck, ressalta que ao perceber os primeiros sintomas deve-se buscar atendimento em uma unidade de saúde mais próxima de sua residência. “Os sintomas mais clássicos são: febre, dor de cabeça, manchas vermelhas pelo corpo, dor atrás dos olhos, dor no corpo”, destaca.

A hidratação, com muita água, deve começar imediatamente e o atendimento logo nos primeiros sintomas é fundamental para evitar que a doença se agrave. Também é importante não tomar remédios por conta própria sem uma avaliação do serviço de saúde.