29 de maio de 2024
TVBV ONLINE
Policial

Operações policiais deflagram combate à pornografia infantil em Santa Catarina

Dois homens foram presos em flagrante em Florianópolis

No Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, duas operações policiais simultâneas foram deflagradas em repressão pornografia infantojuvenil no estado de Santa Catarina. Nesta quinta-feira (18), a Polícia Federal e a Polícia Civil cumpriram mandados de prisão e de busca e apreensão nos municípios de Florianópolis, São José e Itajaí.

Polícia Federal

A Operação Double Face, deflagrada pela Polícia Federal em Florianópolis, resultou na prisão em flagrante de um homem suspeito de armazenar e divulgar material de abuso e exploração sexual infantojuvenil pela internet. Através de um mandado de busca e apreensão expedido pela 7ª Vara da Justiça Federal, foram encontrados na residência do homem mais de 17 mil arquivos de vídeos e imagens contendo pornografia infantil em dispositivos eletrônicos, como computador, HDs, DVDs e celular.

“O nome da Operação Double Face surgiu em decorrência do suspeito, aparentemente, levar uma vida normal. Contudo, pela internet, utilizava o anonimato para cometer crimes sexuais contra crianças e adolescentes”, declarou a assessoria da Polícia Federal. Casado, o homem de 45 anos é morador do bairro Capoeiras e trabalha como operador de caixa em um supermercado. Segundo a PF, as investigações continuam para identificar outros possíveis envolvidos na prática criminosa.

 

Polícia Civil

Já a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI/DEIC), cumpriu três mandados de busca e apreensão, nas cidades de São José, Itajaí e Florianópolis. Durante a operação, um outro indivíduo, de 38 anos, foi autuado em flagrante na capital catarinense, sendo encontrado em sua posse um vasto material ilícito.

Em outros locais, foram apreendidos telefones celulares, notebook e HDs, que serão encaminhados para perícia.

Combate ao Abuso e à Exploração Sexual

A ação das autoridades policiais ocorreu em consonância com o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, reforçando o compromisso em identificar e reprimir essas práticas ilícitas que causam grande dano às vítimas.

O Estatuto da Criança e do Adolescente define como crime de pedofilia a produção, reprodução, direção, fotografia, filmagem ou registro, por qualquer meio, de cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo crianças ou adolescentes. A pena para esse delito é de quatro a oito anos de prisão, além do pagamento de multa.

Fotos: PF e PCSC / Divulgação

Policial

Policial

Policial

Policial

Policial

Policial