24 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Cotidiano

Papai Noel dos Correios prorroga prazo para adoção de pedidos de natal

Mais de 100 mil cartinhas com pedidos de crianças aguardam um padrinho

Cerca de 237 mil cartas foram enviadas à campanha Papai Noel dos Correios, uma das maiores ações de solidariedade do País, até esta terça-feira (5). O balanço parcial da campanha foi apresentado na tarde de ontem pelos Correios, que anunciou também a prorrogação do prazo da campanha para o dia 20 de dezembro.

Das cartinhas recebidas, 134 mil foram adotadas em todo o país. Com a prorrogação do prazo, agora a empresa se empenha para atingir a meta de 100% das cartas adotadas. Para adotar uma cartinha e fazer deste um Natal mais feliz para alguém que necessita, basta comparecer a uma loja física dos correios ou acessar o Blog do Noel.

O Papai Noel dos Correios busca atender a pedidos de crianças do 1º ao 5º ano do ensino Fundamental de escolas da rede pública e de instituições parceiras, como creches, abrigos, orfanatos e núcleos socioeducativos. Também são disponibilizadas para adoção as cartas enviadas por crianças da sociedade com até 10 anos de idade em situação de vulnerabilidade social.

 

“Um dos nossos objetivos é que a gente consiga mobilizar a sociedade, instituições e entidades para atender essas crianças que têm esses sonhos de receber um presente no Natal”, declarou o presidente dos Correios, Fabiano Silva dos Santos.

Nessa reta final da campanha, o presidente da estatal também destacou a importante participação de empresas e de organismos da sociedade civil para que a campanha caminhe para o sucesso. “Tem havido um engajamento grande por parte de pessoas jurídicas, o que, para nós, é essencial, porque nos dá esperança de tornar o Natal ainda mais especial para essas crianças”, enfatizou o presidente.

Para participar adotando lotes de cartas ou realizando a doação de brinquedos que são comumente pedidos, como carrinhos, bolas e slimes, pessoas jurídicas podem entrar em contato com os Correios pelo papainoelnacional@correios.com.br.

 

História

A campanha começou quando carteiros, que não sabiam o que fazer com as cartas enviadas pelas crianças ao Papai Noel, decidiram atender os pedidos. Com o passar do tempo, a empresa criou um programa corporativo para disponibilizar as cartas para adoção por suas empregadas e seus empregados e por toda a sociedade. Desde o início da campanha, mais de 6 milhões de crianças tiveram seus pedidos atendidos.

 

Foto: Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil