23 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Economia

Preço da gasolina e do diesel sobem nos postos de Florianópolis

Segundo Procon Municipal, alta está relacionada ao aumento do ICMS e reajustes nos estabelecimentos

Os combustíveis comercializados nos postos de Florianópolis ficaram mais caros em fevereiro. A alta nos preços foi registrada em uma pesquisa realizada pelo Procon Municipal da Capital, entre a última segunda (6) e terça-feira (7).

O monitoramento mensal aponta que o combustível que mais apresentou aumento de preço neste mês foi a Gasolina Comum, que custava em média R$ 5,67 em janeiro e subiu para R$ 5,90 em fevereiro.

A Gasolina Aditivada, que tinha o litro à venda por R$ 5,81 no mês anterior, também teve a maior alta: passou a custar R$ 6,04. Ambos os tipos tiveram acréscimo de R$ 0,23 entre o último mês e o atual.

 

O Diesel, que era encontrado com o preço médio de R$ 6,18, teve alta de R$ 0,03, encontrados nos postos por uma média de R$ 6,22.

Além destes, o Etanol e GNV também tiveram mudanças nas bombas, mas foram encontrados com queda no valor médio do litro vendido. O Etanol teve seu preço modificado para R$4,25, apresentando uma redução de R$0,01, e o GNV, que estava sendo comercializado por em média por R$5,04, é encontrado por R$4,93, uma redução de R$ 0,11.

De acordo com o diretor do Procon de Florianópolis, Alexandre Farias Luz, esta mudança visível no valor de venda dos combustíveis pode ser atribuída a alguns fatores, entre eles a alteração do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) sobre os combustíveis e os reajustes praticados pelos empresários, que somam-se no valor total das correções do valor médio.

Alexandre informa que esse é apenas o primeiro aumento do ICMS depois da mudança na cobrança do imposto sobre os combustíveis, que foi sancionado em por lei complementar e institui um sistema de imposto fixo por litro de combustível, que passa a ser o mesmo em todos os estados.

O secretário de Governo da Capital, Fábio Botelho, destaca que os preços ainda devem mudar até o final de 2024. Ele ressalta que as equipes do Procon estão constantemente monitorando aumentos de combustível sem justificativa, garantindo a proteção dos consumidores contra qualquer tipo de prejuízo.

 

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil