21 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Ocorrência

Prédio é evacuado às pressas após desmoronamento do solo em Chapecó

Foto: Divulgação/CBMSC

A central de gás do edifício e um veículo foram engolidos por fissura no solo

Um desmoronamento em um prédio no Centro de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, causou a evacuação dos moradores na noite dessa quinta-feira (23). Segundo o Corpo de Bombeiros Militar (CBMSC), o acidente atingiu a garagem e a central de gás do edifício Residencial Bordeaux, na Rua Marechal Floriano Peixoto, causando vazamento.

Segundo o síndico do residencial, os moradores relataram ter ouvido estrondos e observaram que no chão da garagem ocorreu a abertura de uma fissura ao longo da divisa com o terreno vizinho. Dessa forma, eles realizaram a retirada de alguns veículos da garagem e logo em seguida houve o desmoronamento, levando então a cobertura da garagem, a central de gás e um veículo.

 

Moradora do edifício atingido, Ana Júlia Busa relatou que os moradores saíram às pressas do prédio. “As pessoas saíram correndo, dava para sentir de longe um cheiro muito forte de gás e o pessoal começou a correr para o outro lado da rua”.

Ainda segundo a jovem, o registro de gás do prédio foi desligado e foi permitido que os moradores subissem de volta para pegar pertences valiosos. O prédio foi isolado e todos os condôminos foram realocados para um hotel.

> Siga nosso canal no WhatsApp e receba as notícias do TVBVonline em primeira mão

Após averiguação no local, os bombeiros observaram que o desmoronamento de terra pode ter ocorrido por conta de uma obra no terreno vizinho, que teria sofrido uma ruptura no sistema de contenção. Os responsáveis foram contatados e prontamente deslocaram o responsável da construtora para realizar um laudo da estrutura e novas avaliações.

Os técnicos não observaram quaisquer fissuras no sistema estrutural da edificação no momento, nem a exposição da sua fundação. É possível observar que o terreno vizinho, onde ocorre a obra, recebe o deságue natural da chuva dos terrenos vizinhos, e que o leito da rocha está a aproximadamente dois metros do nível do solo.

Defesa Civil e Policia Militar também estiveram no local realizando seus registros e o espaço segue isolado nesta sexta-feira (24), aguardando liberação técnica.