20 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Paulo Chagas

Proposta ousada em defesa da construção da BR-102, paralela à BR-101

A sugestão é do deputado Napoleão Bernardes (PSD) / Foto: Bruno Collaço / Agência AL

Durante a sessão ordinária desta terça-feira (21), na Alesc, integrante do PSD defendeu a implantação da rodovia que se convencionou chamar de BR-102 e que seria construída paralelamente à BR-101. Segundo aponta o deputado Napoleão Bernardes (PSD), Santa Catarina está à beira do colapso, a BR-101 está colapsada, é um drama que tira vidas, torna a vida das pessoas imprevisível, ninguém consegue se programar, é um caos no trânsito e um caos para a economia. O deputado lembrou que a rodovia federal liga cidades estratégicas como Joinville, Itajaí e São José; o complexo portuário, de Garuva a Imbituba; além de cidades e regiões turísticas importantes como Penha, Balneário Camboriú, Itapema, o Vale do Itajaí e a Grande Florianópolis. Cerca de 68% do PIB do estado passa pela BR-101. “Precisamos de uma via paralela, a BR-102, de Joinville até o contorno viário da Grande Florianópolis”, sugeriu Napoleão.

Eleições 2024: em Xanxerê composição aponta pré-candidatos

Lideranças partidárias de Xanxerê / Foto: Divulgação

Na tarde desta terça-feira (21), durante reunião entre os presidentes Edson Marció (PSD), Valdir Gasparini (PODEMOS), Evandro Berto (Progressistas) e Celso Matiollo (REPUBLICANOS) foi selada aliança visando as eleições municipais de 2024 em Xanxerê. Foi mais um passo no entendimento de como os partidos pretendem disputar as eleições. Na ocasião, decidida também a composição da majoritária, que deverá ser entre PSD e PP. Até mesmo os nomes já foram postos. Edson Marció do PSD, Evandro Berto ou Ademir Gasparini (PP). Dois deles deverão encabeçar a majoritária que deverá ser decidida, provavelmente após avaliação em pesquisas internas.

Encontro de mulheres do PSDB e MDB em Guatambu

Visando promover o empoderamento feminino na política, o PSDB e MDB aguarda cerca de 200 mulheres neste próximo sábado, 25, em Guatambu, no Oeste do Estado. Trata-se do Evento Mulheres na Política “Vem Junto”. Uma das coordenadoras do evento, Andreia Valendorff dos Santos, enfatiza esse momento como crucial e de visibilidade às mulheres. “O evento é uma iniciativa para discutir a importância do empoderamento feminino e a inserção das mulheres nos espaços de decisão política”, enfatiza. Outro argumento é de que a participação das mulheres na política é um dos pilares da construção de uma sociedade mais justa e equitativa. Lideranças dos dois partidos estarão presentes e debaterão o cenário político, com destaque para possibilidade de uma mulher, de um desses partidos, compor uma chapa majoritária para as próximas eleições.

Pelas mulheres do Rio Grande do Sul

Deputada Paulinha (Podemos) / Foto: Rodolfo Espínola / Agência AL

A deputada Paulinha anunciou a criação de um grupo de mulheres deputadas, vereadoras, empresárias e profissionais liberais para dar força à campanha “Catarinenses Unidas em apoio às Mulheres e às Famílias do Rio Grande do Sul”. “A roupa íntima da mulher, como a calcinha, que nem é adequada de se doar porque a mulher menstrua, é um item muito importante para a dignidade da mulher, por isso estamos fazendo um movimento grande para comprar um volume mínimo para fazer kits com calcinhas e sutiãs”, anunciou Paulinha, que pediu aos catarinenses que continuem ajudando os gaúchos “doando certo”.

Projeto prevê sanções a invasores de terras

Lupion: objetivo é garantir punições a invasores de terras / Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (21) o texto base da proposta que estabelece restrições e impedimentos para invasores e ocupantes ilegais de propriedades rurais e prédios públicos. Os deputados ainda analisarão possíveis alterações à proposta nesta quarta-feira (22). O texto aprovado é um substitutivo do deputado Pedro Lupion (PP-PR) ao Projeto de Lei 709/23, do deputado Marcos Pollon (PL-MS). Ele aproveitou o conteúdo de outras propostas que tramitavam em conjunto com a original e incluiu as restrições na lei que regulamenta a reforma agrária (Lei 8.629/93). Entre as proposições, quem praticar o crime de invasão de domicílio ou de esbulho possessório deverá sofrer algumas proibições. Uma delas a de participar do programa nacional de reforma agrária ou permanecer nele, se já estiver cadastrado, perdendo lote que ocupar, entre outras. (Fonte: Agência Câmara de Notícias)