23 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Policial

Responsáveis por modificação em BMW são indiciados por homicídio culposo

Inquérito conclui que dono da oficina e funcionário que instalou peça devem responder pela morte dos quatro jovens em Balneário Camboriú no 1º do ano

A Polícia Civil de Santa Catarina concluiu nessa quarta-feira (31) o inquérito que apurava a morte de quatro jovens por intoxicação por monóxido de carbono dentro de uma BMW em Balneário Camboriú no dia 1º de janeiro. Diante das provas coletadas, foram indiciados o proprietário da oficina e o responsável pela construção e instalação da peça modificada que causou o vazamento do gás para dentro do carro.

A investigação apontou que a peça que rompeu foi instalada em uma oficina situada na cidade de Aparecida de Goiânia/GO, no mês de julho de 2023, e que o serviço foi realizado por um indivíduo de 48 anos, sem qualquer formação técnica, e sob a supervisão e controle do proprietário do estabelecimento, de 35 anos. Além disso, os peritos concluíram que a peça foi produzida e montada de forma precária e divergente dos padrões de qualidade do fabricante.

Eles irão responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar), respaldado na imperícia durante a realização do serviço. O processo foi encaminhado para análise do Poder Judiciário e do Ministério Público, a fim de dar andamento à fase processual persecução penal.

 

A peça modificada em questão era denominada downpipe, instalada no sistema de escapamento do carro no lugar do catalisador. Este tipo de tubulação é menor e possibilita passagem livre das emissões de gases do escapamento. A remoção do catalisador não é permitida na legislação.

A perícia da Polícia Civil identificou que o downpipe instalado estava rompido, e parte dessa tubulação estava separada ao meio, além de uma solda frágil que dificultava a estabilização da peça. Este rompimento ficava localizado muito próximo à grade de captação do ar-condicionado do veículo, que acabou sugando os gases e resultou na asfixia dos quatro ocupantes.

Relembre o caso

Quatro jovens entre 16 e 24 anos foram encontrados já em parada cardiorrespiratória dentro de uma BMW estacionada junto à rodoviária de Balneário Camboriú, no Litoral Norte de Santa Catarina, na manhã do dia 1º de janeiro, após as festas de réveillon.

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC), os três homens e uma mulher foram avaliadas pela equipe médica do SAMU no local. Elas foram retiradas do carro e receberam procedimentos de reanimação. Entretanto, após 40 minutos de PCR e atendimento pré-hospitalar avançado, mas sem nenhuma resposta, a equipe do SAMU decretou óbito das vítimas.

BMW - Foto: PMSC / Divulgação

Perícia apontou morte por asfixia

Os resultados da perícia realizada pela Polícia Científica, apresentados no dia 12 de janeiro, apontaram que a morte dos quatro jovens foi causada por asfixia por monóxido de carbono. Os exames de necropsia revelaram que os níveis de saturação de monóxido de carbono no organismo das vítimas estava acima de 50%. Quando inalado, o gás é entregue aos tecidos do corpo no lugar do oxigênio. Segundo os peritos, um volume de saturação de 40% já é suficiente para levar uma pessoa a óbito.

Ao chegarem no local das mortes, os peritos encontraram o ar-condicionado do carro ligado. Medições dos níveis de monóxido de carbono no interior do veículo apontaram entre 850 e 1000 partes por milhão, níveis extremamente altos e nocivos ao organismo, especialmente dentro de um carro fechado.

 

Fotos: Polícia Civil