21 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Saúde

SC amplia aplicação da vacina bivalente contra a Covid-19 para pessoas com comorbidades

A partir de agora, pessoas com comorbidades também podem receber uma dose de reforço da vacina bivalente contra a Covid-19

A inclusão de mais esse grupo segue recomendação do Ministério da Saúde (MS) encaminhada aos estados na última sexta-feira, 31. Para receber a dose, além de fazer parte do grupo de pessoas com comorbidades, é preciso ter 12 anos ou mais e ter tomado ao menos duas doses da vacina monovalente (Pfizer, Coronavac, AstraZeneca, Janssen) contra a Covid-19, sendo que a última deve ter sido aplicada com um intervalo mínimo de 4 meses.

O público-alvo total dos grupos prioritários, com a inclusão das pessoas comorbidades, é de aproximadamente 1,9 milhão de pessoas. O estado de Santa Catarina já recebeu do Ministério da Saúde e distribuiu aos 295 municípios catarinenses 671.094 doses. Até o momento, segundo o vacinômetro federal, foram aplicadas 167 mil doses.

A SES reforça que as pessoas que não fazem parte dos grupos prioritários para a aplicação da vacina bivalente devem seguir o esquema de vacinação com a aplicação das doses do esquema primário e doses de reforço monovalentes, de acordo com a faixa etária.

Relação de comorbidades elencadas para vacinação com a vacina bivalente:

– Diabetes mellitus;
– Pneumopatias crônicas graves;
– Hipertensão Arterial Resistente (HAR);
– Hipertensão arterial estágio 3;
– Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo;
– Insuficiência cardíaca (IC);
– Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar;
– Cardiopatia hipertensiva;
– Síndromes coronarianas;
– Valvopatias;
– Miocardiopatias e Pericardiopatias;
– Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas;
– Arritmias cardíacas;
– Cardiopatias congênita no adulto;
– Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados;
– Doenças neurológicas crônicas e distrofias musculares;
– Doença renal crônica;
– Hemoglobinopatias e disfunções esplênicas graves;
– Obesidade mórbida;
– Síndrome de Down e outras Síndromes genéticas;
– Doença hepática crônica.

Sendo assim, estão aptos a tomar a vacina Pfizer bivalente contra a Covid–19 todas as pessoas que integram um dos grupos prioritários:

– abrigados e trabalhadores de instituições de longa permanência (ILPI);
– idosos com 60 anos ou mais;
– pacientes imunocomprometidos;
– pessoas com comorbidades;
– população das comunidades indígenas e quilombolas;
– gestantes e puérperas (mães até 45 dias após o parto);
– trabalhadores da saúde;
– pessoas com deficiência permanente;
– população privada de liberdade, adolescentes cumprindo medida socioeducativa e funcionários do sistema de privação de liberdade.

Foto: Nucom/Reprodução