20 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Paulo Chagas

Sobre a licença de Seif e críticas por ida a show de Madonna

Senador Jorge Seif / Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Pela primeira vez manifesto-me a respeito das diversas opiniões sobre a ida do senador Jorge Seif (PL/SC), ao mega show de Madonna, recentemente, no Rio de Janeiro. Uma tentação de milhões de brasileiros. Eu mesmo queria muito ter ido. Passei boa parte da minha juventude, atuando no rádio, idolatrando a artista de potencial único na música pop internacional. Seif e a esposa dele, como cidadãos, se condicionaram ao direito de ir, e creio, apenas para conhecer a cantora. Natural. Como tantos, não esperava ver a tamanha obscenidade durante o show. De minha parte, toda a idolatria que tinha pela cantora, se dissipou. Foi decadente. Portanto, Seif, como já justificou, também não esperava ver o que viu. A opinião pública tem sido severa diante de uma situação simples, explicada, e mal rotulada, com repercussão descabida. Vejo assim.  De certa forma, a afetação é desproporcional. Tanto que chegou a pedir licença do cargo por 15 dias, sob a condicionante de um atestado médico, tamanha, a perturbação. Junte-se a isso, ainda sofre com o processo que pede a cassação do mandato, pelo suposto uso de poder econômico. Menos né!

Deputados despertam para a formação de candidatos

Deputada Luciane Carminatti (PT) potencializa a capacitação das mulheres / Foto: Bruno Collaço / Agência AL

O pleito de 2024 que irá eleger prefeitos, vices e vereadores tem tido uma atenção redobrada de parte de alguns parlamentares catarinenses, não apenas visando multiplicar o número de candidaturas, mas dando a eles aprimoramento técnico e intelectual. Entre os que estão nestes exemplos, os deputados Lucas Neves (Podemos), Mário Motta (PSD), e também Luciane Carminatti (PT). Todos, de alguma forma estão com plataformas que vão contribuir na formação de lideranças, mais bem preparadas no campo político. Carminatti se voltou para a formação de pré-candidatas, ao criar Escola de Mulheres. As aulas têm avançado, englobando vários quesitos da legislação eleitoral e o calendário para o pleito deste ano. Segundo ela, podem participar interessadas em concorrer ou trabalhar em campanhas. A deputada destaca a importância dessa formação, principalmente para quem vai concorrer em uma eleição pela primeira vez. O curso abrange tópicos como: os desafios de ser candidata, campanhas de baixo custo, temas estratégicos e comunicação.

Paridade: isenção de impostos em igualdade com estrangeiros

Luciano Hang / Foto: Divulgação/39º CNSE

O empresário Luciano Hang, dono da Havan, se manifestou pela igualdade com estrangeiros na isenção de impostos nas compras até US$ 50. A referência foi dita no encerramento do 39º Congresso Nacional de Sindicatos Empresariais (CNSE), em Balneário Camboriú (SC), na sexta-feira (17), ocasião em que foi homenageado por toda sua trajetória profissional. Conforme ele, ao lado dos demais empresários, afirmou ser a favor da isonomia tributária. A favor de um manifesto apresentado no evento, o dono da Havan esclarece que o objetivo da indústria e comércio não é criar mais um imposto, mas isentar também o imposto até US$ 50 para as empresas brasileiras. “Ao invés de criar mais impostos, queremos reduzir os que já existem e igualar para todo mundo”, disse Hang.

O manifesto na íntegra

MANIFESTO A FAVOR DO BRASIL

Nós, do Comércio, Serviços e Turismo, representando mais de 1000 sindicatos empresariais somos a favor da Isonomia Tributária para as compras de até US$ 50,00 realizadas no Brasil e no exterior.

É inadmissível que as plataformas digitais estrangeiras sejam isentas de impostos, sufocando deslealmente o comércio e os comerciários brasileiros.

O Brasil não pode matar suas empresas e empregos do comércio. Ou tributa todo mundo até US$ 50,00 (R$250,00) ou não tributa ninguém.

É incrível, mas esta isenção de impostos aplica-se somente aos produtos vindos de fora. Isso é COVARDIA com o comerciante brasileiro, considerando que a média das mercadorias vendidas no país são abaixo de R$180,00.

Por que o Brasil está beneficiando o comércio internacional em detrimento do comerciante brasileiro?

Nem a cesta básica é isenta de impostos. Estamos exportando nossos empregos.

PENSEM NISSO!

Balneário Camboriú – SC, 17 de maio de 2024