21 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Paulo Chagas

Trotes prejudicam o SAMU: inconcebível o que ainda acontece

É difícil entender o comportamento de pessoas irresponsáveis, seja qual for a idade, ao fazer ligações falsas a um serviço primordial na vida de toda a população. Com entender que pessoas achem divertido seguir enganando, enquanto que outros, na mesma hora podem estar precisando. É muito sério. Pois, somente no segundo semestre deste ano, a Central de Regulação de Emergência (CRU) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) recebeu 13.800 ligações classificadas como falsas emergências. No mesmo período do ano passado, foram registrados 9.509. Um aumento de 45%. Joinville, Blumenau e Florianópolis, foram as cidades que mais registraram os trotes. (Foto  Arquivo/ Gilberto Firmino)

Identificação dos (i)responsáveis

Gostaria muito de saber se estão conseguindo rastrear tais irresponsáveis, e se estão sendo punidos. Pelas informações, os operadores são treinados, e conseguem identificar, em muitos casos, os indícios de trote. No entanto, a consciência tem de acontecer em meio à população. Passar trotes aos serviços de emergência é um crime previsto pelo artigo 266, do Código Penal Brasileiro, e o infrator pode pegar de um a seis meses de detenção. Até mesmo crianças estão sujeitas à punição, segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). É importante que saibam que esse tipo de ligação é um ato infracional gravíssimo e quem o comete deve ser encaminhado para a Vara da Infância e da Juventude para que sejam aplicadas as medidas socioeducativas. Um dos meios para amenizar é o EducaSamu, que já contemplou mais de 11,5 mil alunos, de 108 instituições, só este ano.

Modelo de escola cívico-militar será mantido em SC

A atitude tomada pelo Governo de Santa Catarina, em manter Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (PECIM), também foi seguida por outros estados, a exemplo do Paraná, São Paulo, Distrito Federal, e tantos outros. A decisão anunciada nesta quinta-feira (13), pelo governador Jorginho Mello (PL) foi logo depois de o Governo Federal ter informado que iria interromper a continuidade do PECIM, no Brasil. E não importa qual a nomenclatura a ser dada. É importante mudar e tirar qualquer vínculo com a atual. Importante também continuidade do programa, e com a possibilidade de ampliar ainda mais, atendendo aos anseios de comunidades como São José e Agrolândia, que realizaram, inclusive, audiência pública para saber da população de se aceita ou não a implantação do modelo de escola em seus municípios. Fez muito bem o governador, ao entender a situação, e tranquilizar os alunos e pais, das escolas atualmente em funcionamento no Estado, incluindo melhorias.

Deputados voltam a criticar a decisão do Governo Federal

Deputado Mauricio Peixer (PL) / Foto: Bruno Collaço / Agência AL

A tribuna da Assembleia Legislativa de Santa Catarina voltou a ser ocupado por deputados críticos à decisão do governo federal em encerrar o programa de escolas cívico-militares. O deputado Maurício Peixer (PL), destacou a importância do modelo para o aprimoramento da qualidade do ensino e a transmissão de princípios como disciplina, patriotismo e civismo aos estudantes. Ele também desvinculou o programa do ex-presidente Jair Bolsonaro e dos militares. De acordo com ele, participam apenas como monitores, com as questões didático-pedagógicas permanecendo sob o controle dos professores da rede pública de ensino. Antídio Lunelli (MDB), por sua vez, qualificou o ato do governo federal como um “autoritarismo” contra quem pensa diferente do atual presidente e um “desrespeito” contra professores, alunos e militares. “Eleito com a promessa de unificar o país, com esse tipo de decisão Lula na verdade prova que o projeto deste governo é agradar somente aos que pensam como ele.” O parlamentar parabenizou o governador Jorginho Mello por manter o programa no Estado.

Governador Jorginho Mello na estrada

Foto: Roberto Zacarias / Secom

Segue tendo continuidade o Programa Santa Catarina Levada a Sério + Perto de Você. Nesta sexta-feira, a vez de São Miguel do Oeste, onde acontece mais uma rodada de conversa com os prefeitos que fazem parte da Associação dos Municípios do Extremo Oeste de Santa Catarina (AMOESC). Na quinta-feira (13), ele esteve com 17 gestores dos municípios que fazem parte da Associação dos Municípios do Entre Rios (AMERIOS). O encontro individual aconteceu na sede da associação que fica na cidade de Maravilha no Extremo Oeste, nesta quinta-feira (13). Todos puderam conhecer os projetos elaborados pelo executivo ou atualizar as obras do governo em andamento na sua cidade. A equipe do Governo do Estado já sinalizou para cada prefeitura sobre os investimentos que serão feitos nas cidades da AMERIOS.

Emenda pior do que o soneto

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso emitiu nota para se retratar sobre o polêmico discurso no Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), quando, sob vaias, disse à plateia que “derrotamos o bolsonarismo”, na última quarta-feira, 12. Infelizmente, o representante da alta corte, deixou bem claro que tem lado e posição política. Ao se justificar, disse que utilizou a expressão “derrotamos o Bolsonarismo”, quando na verdade estava se referindo ao extremismo golpista e violento que se manifestou no 8 de janeiro e que corresponde a uma minoria”. Ficou pior. Pois, além de “bolsonaristas”, chamou de “extremistas”.