20 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Fátima Guimarães

Uma programação cultural envolvendo música, literatura, dança e muito aprendizado

Produção artística catarinense

Tem comemoração em grande estilo. Para comemorar seus 45 anos de criação, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) promove o espetáculo “Grandes Clássicos” com a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil no palco do Teatro Ademir Rosa, localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis. A apresentação ocorrerá no dia 24 de abril, dia do aniversário da FCC, às 19h30, com entrada gratuita e aberta ao público.

ATUALIZAÇÃO: O espetáculo da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil neste dia 24 foi cancelado, substituído pelo “Concerto Lírico” da Camerata Florianópolis.

A Fundação Catarinense de Cultura (FCC) é o órgão executor das políticas culturais no estado de Santa Catarina. Foi criada oficialmente em 24 de abril de 1979, pelo Decreto Estadual nº 7439, e tem como missão valorizar a cultura por meio de ações que estimulem, promovam e preservem a memória e a produção artística catarinense.

Atualmente, é responsável pela gestão do Programa de Incentivo à Cultura (PIC), o mecenato estadual; de editais como o Prêmio Catarinense de Cinema e o Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura. Também tem sob sua responsabilidade a administração de diversos espaços culturais, como o Teatro Álvaro de Carvalho (TAC), o Teatro Pedro Ivo, o Centro Integrado de Cultura (CIC) – que compreende o Teatro Ademir Rosa, o Museu de Arte de Santa Catarina (Masc), o Museu de Imagem e Som (MIS/SC), as Oficinas de Arte, a Escolinha de Artes, as Salas Lindolf Bell, o Cinema Gilberto Gerlach e a Biblioteca de Arte & Cultura -, a Galeria do Artesanato da Casa da Alfândega, a Biblioteca Pública de Santa Catarina, o Museu Histórico de Santa Catarina, a Casa da Literatura Catarinense Poeta Cruz e Sousa, o Museu Etnográfico Casa dos Açores (em Biguaçu), a Casa de Campo Governador Hercílio Luz (em Rancho Queimado) e o Museu Nacional do Mar – Embarcações Brasileiras (em São Francisco do Sul).
Importante saber; os ingressos gratuitos. Reorganize a sua agenda e tenha bons momento em família.


Oficinas culturais gratuitas

Senhoras e senhores, o Circo chegou em Capivari de Baixo. É o 1º Festival Circense no Parque Diamante + Energia com espetáculos ocorre no dia 27 de abri. O Festival terá ampla programação com apresentações artísticas e atividades de circo durante o Sábado Cultural. É a magia e a alegria do circo que serão compartilhadas durante o 1º Festival Circense no Parque.

De acordo com a coordenadora de Cultura do Parque, Dafna Rodrigues, o Festival será uma pequena mostra do que os alunos das oficinas culturais gratuitas de circo vivenciam durante as aulas e uma forma de apresentar uma das mais antigas tradições artísticas à comunidade da região. “As oficinas de circo estão encantando os alunos e preparamos esse Festival para que as pessoas da nossa região tenham acesso a esta arte”, comenta. Não perca esta diversão.

A programação terá a participação de Companhias artísticas que farão apresentações artísticas, malabares, palhaçaria, mímica, entre outras atrações.

A ação cultural gratuita é realizada por meio do Ministério da Cultura, do Governo Federal, e conta com o apoio da Associação Jorge Lacerda, gestora do Parque Diamante +Energia e com o patrocínio da Diamante Geração de Energia, através da Lei de Incentivo à Cultura.


Pregadores do Brasil

Começou na tarde desse sábado (20) a 39° edição Internacional dos Gideões Missionários da Última Hora em Camboriú. Neste ano, o evento segue até 29 de abril. O Congresso dos Gideões é gratuito, com cultos diários que iniciam às 8h e vão até às 23h, sem intervalo, contando com a presença de cantores e pregadores do Brasil e do mundo.

Passarão pelo congresso nomes como Marco Feliciano, Junior Trovão, Angelo Galvão e a Missionária Helena Raquel. A partir de quinta-feira os cultos serão, simultaneamente, no Pavilhão dos Gideões e no Ginásio Irineu Bornhausen, com a região central de Camboriú sofrendo mudanças no trânsito. Um momento de reflexão para uma vida regalada de bençãos.


Meu Amigo Totoro

Como os nosso baixinhos precisam deste momento… deixar de lado um pouco a tecnologia e exercitar a mente. Anote aí, nos dias 26 e 27 de abril, a Sala Lindolf Bell do Centro Integrado de Cultura (CIC) recebe o evento Brincadeiras das Crianças Japonesas, composto de mini-exposição e oficinas, além de sessão especial do Cineclube da Mostra de Cinema Infantil com o filme “Meu Amigo Totoro” no dia 27, às 16h, no Cinema Gilberto Gerlach.

A participação é gratuita. Proposta promovida pelo Nipocultura, selecionada no Edital Lei Paulo Gustavo LPG SC 2023 – executado com recursos do Governo Federal e Lei Paulo Gustavo de Emergência Cultural, por meio da Fundação Catarinense da Cultura.

A mini-exposição conterá itens referentes à infância no Japão, como o kamishibai (Teatro de Papel). Também será possível conhecer brinquedos como otedama (jogo feito com pequenos saquinhos costurados e preenchidos com feijão); daruma otoshi (torre de círculos de madeira que devem ser retirados com um martelo sem derrubar a torre), pião, taketombo (equivale ao pirocoptero brasileiro, feito de bambu); e kendama (bolinha presa por um fio a uma estrutura em forma de cruz, que deve ser encaixada na parte superior do brinquedo).

Além disso, em ambos os dias haverá oficinas de origami, pipa e haicai para crianças; além de brincadeiras monitoradas (ayatori, otedama, karuta, brinquedos tradicionais). Informe-se na Sala Lindolf Bell – No Centro Integrado de Cultura (CIC)


Homem público

No ano em que completa 170 anos, a Biblioteca Pública de Santa Catarina recebe mais uma exposição sobre intelectuais que exerceram seu ofício no território catarinense. Começou no dia 10 de abril e segue até o dia 17 de maio. Você já foi conferir? A visitação é gratuita, sempre de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h.

A exposição visa mostrar o perfil de um homem público que exerceu várias funções e cargos, cuja imagem que ficou para a posteridade é a de um educador. A partir de seu legado intelectual, constatamos um colecionador ou guardador do passado, com documentos da intimidade e da vida pública, o que permite que os leitores do presente possam vislumbrar sua presença na história intelectual de Santa Catarina. Ainda dá tempo.