23 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Policial

Autoridades de SC detalham ataque à escola e ações de prevenção; confira

Polícia Científica informa que já foram feitas as coletas de provas no local do crime

O Governo de Santa Catarina e representantes de forças de segurança estaduais e municipais, realizaram nesta quarta-feira (5), uma entrevista coletiva para detalhar as ações após o ataque à creche em Blumenau que deixou quatro crianças mortas e cinco feridas.

Na coletiva estavam representantes do governo estadual, a Polícia Civil, Militar e Científica, o prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt, e a vice-prefeita, Maria Regina Soar. No início, foi realizado um minuto de silêncio, junto à imprensa, em memória dos feridos e mortos no ataque a escola.

Em seguida, foi detalhado alguns momentos do crime. De acordo com a Polícia Militar, na hora do chamado, uma viatura estava a 5 minutos do local, o que ajudou na rápida ação da polícia. O homem pulou o muro, cometeu o crime e, logo após, entregou-se na delegacia.

 

Ainda segundo relatório da PMSC, o criminoso tem passagens pela Polícia em diferentes anos, por crimes de violência e porte de drogas. Ele esfaqueou o padrasto e feriu um cachorro, além de portar cocaína. Natural do Paraná, ele mora em Santa Catarina desde 2019.

Três meninos e uma menina com idades entre 3 e 7 anos morreram. Outras cinco crianças estão hospitalizadas, sendo que quatro delas passaram por cirurgias. A vice-prefeita atualizou o estado de saúde dos alunos e, segundo ela, eles estão na sala de recuperação, esperando passar a sedação, e serão encaminhados para a enfermaria, com previsão de alta em 24h.

O delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Ulisses Gabriel, informou que o homem saiu de casa depois que sua mãe foi trabalhar, por volta das 8h, e, apesar das ocorrências em registro, segundo a mãe, ele não apresentou nenhum comportamento estranho. O homem esta detido e as investigações agora seguem, para saber qual a motivação e se ele estaria ligado em alguma rede de ataques.

De acordo com a Polícia Científica, já foram feitas as coletas de provas no local do crime. As perícias dos corpos de duas das quatro crianças falecidas estão concluídas.

Prevenção

Sobre as ações de prevenção, as autoridades informaram que nas últimas semanas já estava ocorrendo um treinamento policial, contra atiradores ativos e situações de atentados, como essa. A medida vem sendo feita desde o crime que ocorreu em Saudades, no Oeste catarinense, onde várias crianças e professoras foram mortas por um invasor.

O Delegado Ulisses afirmou que já havia informado o governador sobre ações de prevenção sobre crimes dessa natureza, que estavam acontecendo no Estado. Também foi destacada a criação de um protocolo de prevenção e um de contingência, em parceria com a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros Militar, a Polícia Civil e a Polícia Científica, em todas as escolas de Santa Catarina, para verificar a vulnerabilidade das unidades escolares.

Outra medida passa por criar uma sistemática de perfis comportamentais de criminosos que possam praticar esses ilícitos penais. “Vamos analisar as condutas prévias de indivíduos perigosos e verificar se eles podem voltar a praticar condutas, em especial, aqueles que estão em liberdade”, afirmou o delegado Ulisses. A orientação adequada para os professores também está na pauta de prevenção.

As autoridades reforçaram que o caso foi isolado, e que as informações de outras ameaças, que estariam sendo enviadas pelas redes sociais, tratam-se de fake news.

Foto: TVBV