23 de junho de 2024
TVBV ONLINE
Cláudio Prisco

Ed, a delação e os partidos

31 de maio de 2024

Nova fase da Operação Presságio, desencadeada pela Polícia Civil de SC, balançou os meios políticos. Os policiais investigam crimes em torno de licenças ambientais, lavagem de dinheiro, organização criminosa e corrupção.

Quatro detenções ocorreram na Capital esta semana. Destaque para o ex-secretário de Turismo, Ed Pereira, que concorreu à Câmara Federal pelo UB. Ele é correligionário de Gean Loureiro, que foi candidato a governador em 2022 em coligação com o PSD, partido que indicou o vice, Eron Giordani, hoje presidente estadual da sigla.

O encaminhamento respinga em duas legendas que se movimentam com vistas às eleições municipais. Dois partidos muito próximos e que, de alguma maneira, saem chamuscados. Talvez mais à frente até possam sair desgastados, caso Ed Pereira faça uma delação premiada.

No dia da prisão, ele silenciou, nada disse. Ocorre que se a delação for prorrogada e Ed, caso venha a sentir-se abandonado, pode abrir o bico e fazer revelações que indiscutivelmente vão envolver figurinhas coroadas da política estadual.

Blindagem

A grande verdade é que os desdobramentos também ocorrem no contexto administrativo. O prefeito Topázio Silveira Neto, que ascendeu ao cargo com a renúncia de Gean para concorrer ao governo em 2022, vai puxar o freio de arrumação.

Rua

Topázio já havia demitido Ed Pereira e fará uma varredura na pasta do Turismo em Florianópolis. E talvez em ouras frentes administrativas onde a influência do UB ganha proporções que podem ter se tornado indesejáveis.

Até mesmo no que diz respeito ao próprio PSD, partido atual de Topázio e pelo qual ele concorrerá à reeleição.

Distância

Tudo leva a crer que, mais do que nunca, uma realidade já verificada nos últimos meses de Topázio em relação à Gean ganhe contornos definitivos.

Chegados

Em compensação, a tendência é que o prefeito venha a se aproximar ainda mais – os dois já andam em fina sintonia – do governador Jorginho Mello.

Espaço

Não por acaso, o alcaide já deixou muito claro que seu vice virá do PL, partido pilotado em Santa Catarina pelo governador.

Passivo

Há vários outros episódios em investigação e se referem ao período em que Topázio era apenas vice-prefeito e ainda outros que remontam ao primeiro mandato de Gean Loureiro.

Liberal

Ou seja, tudo leva a crer que aquela especulação de que Topázio, uma vez reconduzido, venha, lá adiante, a se filiar ao PL, ganha ainda mais força considerando-se as circunstâncias policiais no contexto político-eleitoral da Capital.

Imagem: Reprodução Redes Sociais.