24 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Cláudio Prisco

Os ventos começam a mudar

Já faz algum tempo que havíamos aqui vaticinado que o futuro do governo de Lula da Silva não seria nada alentador. Estamos sob Lula III há mais de 15 meses. São muito desacertos e erros crassos. Na política internacional, é uma verdadeira pérola. Seu comportamento em relação à invasão russa na Ucrânia é vergonhoso, vexatório, ficando ao lado do ditador Vladimir Putin.
Depois, tivemos o episódio da Faixa de Gaza, onde o grupo terrorista Hamas atacou covardemente civis israelenses. O Estado de Israel evidentemente reagiu. Lula da Silva comparou a ofensiva israelense ao Holocausto, numa ignorância histórica sem precedentes na história deste país.
O presidente de plantão virou alvo de chacota mundial. Ninguém mais acredita na deidade vermelha pelas bobagens sem fim que ele vem propalando.
A mais recente saiu da boca de Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores de Lula e hoje assessor especial do presidente.

Contramão

Ele deu pontos ao Irã no ataque do país contra Israel. O Brasil está alinhado na contramão das grandes democracias ocidentais. É um descalabro total.
As figuras estratégicas do país estão muito atentas. Não só na questão internacional como em relação à economia doméstica.

Mãos atadas

Fernando Haddad, embora não tenha formação na área, vem tentando segurar as pontas, mas o presidente e o PT só atrapalham.
O mau-humor parece que já chegou na Avenida Faria Lima. Há um certo desconforto. O estouro da boiada está aí.

Farra fiscal

Sob o aspecto fiscal, a gastança avança e não há cortes. O governo continua gastando além do possível. E o vice-presidente, ministro da Indústria e Comércio, tem sido ignorado olimpicamente. Inclusive em assuntos da sua área.
Estatais dando prejuízo, diretor da Petrobrás sendo afastado pela Justiça e o presidente da petroleira na marca do pênalti para ser demitido.

Ladeira abaixo

Vivemos absoluta instabilidade econômica, os preços disparando. Com um petista de carteirinha na frente do IBGE, não dá pra acreditar nos números. O ânimo do mercado financeiro é de preocupação.

Alô, Lula

Nesse contexto, o presidente da Câmara, Arthur Lira, que para santo não serve, é sim uma figura deplorável.
Mas Lira mandou um recado direto e claro ao ministro da Articulação Institucional, Alexandre Padilha, o qual o deputado qualificou de incompetente porque faz muita intriga, não ajuda. Sempre lembrando que os petistas descondenados são muito piores do que ele.

Pagou pra ver

Lula, a seu turno, veio a público e disse que agora mesmo é que Padilha fica. O petista desafiou Lira. Lula da Silva sabe que os presidentes do Senado e da Câmara têm muito poder, podem muito politicamente. Os demais deputados e senadores podem muito pouco.
Rodrigo Pacheco está no bolso do governo, do consórcio STF-Planalto. Lira, ao contrário, não está alinhado ao grupo.

Alto lá

Tanto que ele mandou para os escaninhos da Câmara o projeto de censura das redes sociais, tão defendido pelo governo e pela mídia estatal, velhaca e corrupta.

Canais

O presidente da Câmara tem contato direto com a classe empresarial. Ou seja, Lula pode estar correndo um grande risco. Dilma Rousseff foi degolada em processo que se iniciou quando ela resolveu bancar um candidato a presidente da Câmara contra Eduardo Cunha. O resto é história.

Impedimento

Na medida em que o presidente ensaia uma queda de braço com Arthur Lira dá para imaginar que passa a ficar mais tangível a tramitação de um pedido de impeachment contra o chefe do Executivo no segundo semestre.
É bom ficarmos muito atentos porque a derrocada de Lula III pode estar começando.