16 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Ocorrência

Chuvas: quase 200 pessoas ficaram desalojadas no litoral catarinense

Imagens: Isabela Rodrigues/Reprodução

Ao todo sete municípios decretaram situação de emergência

Os intensos volumes de chuva registrados no litoral de Santa Catarina entre os dias 11 e 16 de abril deixaram pelo menos 194 pessoas desalojadas. De acordo com dados do Relatório emitido pela Secretaria da Proteção e Defesa Civil de Santa Catarina (SDC), famílias afetadas foram observadas principalmente em Paulo Lopes (120), Palhoça (50 desalojados e 11 desabrigados), Biguaçu (20), e também em Imbituba (2) e Tubarão (2).

Até a conclusão do Relatório, 30 municípios registraram informações de ocorrências, sendo que a região da Grande Florianópolis foi a mais afetada. Palhoça, São João Batista, Paulo Lopes, Garopaba e Imbituba foram os que registraram o maior número de danos e prejuízos.

 

Entre esses municípios, sete decretaram Situação de Emergência: Paulo Lopes, Santo Amaro da Imperatriz, Canelinha, Garopaba, Águas Mornas, Imbituba e Palhoça. A documentação dos processos está em análise para homologação pelo Estado.

> Impacto das chuvas: cerca de 350 bombeiros foram mobilizados para os atendimentos

Equipes da SDC foram enviadas para prestar apoio à população afetada pelas chuvas nos municípios. Em Palhoça, na última segunda-feira (15), a Secretaria garantiu o fornecimento de alimentos e água para as pessoas que estavam trancadas na fila no Morro dos Cavalos, na BR-101, por conta de uma queda de bloco que interrompeu o trânsito de veículos.

Já em Paulo Lopes, um dos municípios mais atingidos, os Itens de Assistência Humanitária (IAH) chegaram em menos de 24 horas. “O município realizou contato com a Defesa Civil estadual, após decreto de situação de emergência, para verificar a possibilidade de solicitação de apoio no fornecimento de itens de assistência humanitária e, em menos de 24 horas, a nossa Secretaria atendeu à solicitação e realizou a entrega”, declarou Major Ireno, gerente de Assistência Humanitária.

Foto: Airton Fernandes / SDC

Segundo o secretário de Estado da Proteção e Defesa Civil, Fabiano de Souza, a pronta resposta e o atendimento da equipe da Secretaria e também dos demais órgãos estaduais e federais envolvidos, como o Corpo de Bombeiros Militar (CBMSC), a Polícia Civil, e a Polícia Rodoviária Federal (PRF), foram os diferenciais da ação integrada. “Todo processo foi conduzido com o propósito de amenizar os impactos das chuvas e proporcionar segurança e alívio para as pessoas afetadas e, ao longo de toda a ação, conseguimos observar a preparação e a prontidão das autoridades para lidar em situações de desastres e suas consequências reafirmando a importância do trabalho em conjunto para a construção de uma sociedade mais resiliente e preparada para enfrentar eventos adversos”, enfatizou.