3 de março de 2024
TV Barriga Verde
Robson Reckziegel

Condenado! Empregado que falsificou atestado médico é condenado criminalmente

Um homem foi condenado à pena de dois anos de reclusão em regime aberto pelo crime de falsidade documental. A decisão é do Tribunal de Justiça de Santa Catarina que confirmou a sentença condenatória da 2ª Vara Criminal de Joinville-SC.

Falsificar um atestado médico no trabalho é uma ação irresponsável e ilegal que envolve sérios riscos e consequências. Embora possa parecer uma solução temporária para se ausentar do trabalho, essa prática tem implicações negativas tanto para o indivíduo que comete a falsificação quanto para o ambiente de trabalho em geral.

Abaixo, explicaremos alguns dos principais riscos associados à falsificação de atestados médicos:

  1. Consequências legais: A falsificação de documentos é um crime. Isso significa que quem for pego falsificando um atestado médico pode enfrentar acusações criminais, resultando em multas, prisão ou outros tipos de penalidades legais, lembrando que mesmo sendo uma pena branda ficará registrado no histórico criminal de quem for condenado.
  2. Demissão por justa causa: A maioria das empresas tem políticas rigorosas em relação à falsificação de documentos, incluindo atestados médicos. Se o empregado for descoberto, é provável que seja demitido por justa causa, o que pode resultar na perda do emprego, de benefícios e até mesmo de referências futuras, isso tudo amparado pela justiça que dificilmente reverterá uma decisão como essa.
  3. Dificuldade de confiança: Mesmo que não seja demitido, a empresa provavelmente terá dificuldade em confiar no empregado no futuro. Isso pode afetar relacionamentos no local de trabalho, oportunidades de promoção e reputação profissional.
  4. Danos à reputação profissional: Falsificar um atestado médico pode manchar a reputação de um profissional.
  5. Desrespeito aos colegas: Falsificar um atestado médico não afeta apenas o empregado. Os colegas de trabalho podem precisar compensar a ausência, causando sobrecarga de trabalho e estresse para eles. Isso pode levar a um ambiente de trabalho hostil e prejudicar as relações interpessoais.
  6. Efeito cascata: Uma única falsificação de atestado médico pode levar a um ciclo de mentiras e mais falsificações, tornando a situação ainda mais complicada. Isso pode resultar em uma teia de mentiras que eventualmente será descoberta.
  7. Desvalorização de atestados médicos legítimos: A falsificação de atestados médicos desvaloriza a importância desses documentos. Isso pode levar os empregadores a desconfiarem dos atestados médicos legítimos e, por consequência, dificultar o acesso a licenças médicas quando elas são realmente necessárias.
  8. Problemas éticos e morais: Falsificar um atestado médico é, além de uma ilegalidade, uma ação antiética e imoral. Isso pode causar conflitos internos e sentimento de culpa, prejudicando o bem-estar emocional do indivíduo.

Em resumo, falsificar um atestado médico no trabalho é uma escolha arriscada e prejudicial que pode resultar em consequências graves. É sempre recomendável lidar com questões de ausência no trabalho de maneira ética e honesta, buscando alternativas legítimas, como conversar com o empregador, utilizar licenças médicas quando apropriado e seguir os procedimentos adequados da empresa. A honestidade e a integridade são valores importantes no ambiente de trabalho e na vida profissional.

Foto: Repordução/Canva

Robson Reckziegel

Robson Reckziegel

Robson Reckziegel

Robson Reckziegel

Robson Reckziegel

Robson Reckziegel