14 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Economia

Governo lança programa de expansão da infraestrutura energética renovável no Planalto Serrano

Fotos: Graziane Ubiali/TVBV

Energia Boa prevê a construção de seis novas subestações e linhas de transmissão com projeção de R$ 3 bilhões em investimentos

O Governo de Santa Catarina e a Celesc lançaram nesta sexta-feira (21) aquele que é considerado o maior projeto estadual de fomento à geração de energias renováveis já realizado no país. O Energia Boa prevê a construção de seis novas subestações e 225,5 quilômetros de linhas de transmissão no Planalto Serrano. O decreto foi assinado pelo governador Jorginho Mello na Associação Comercial e Industrial de Lages (ACIL).

Para alavancar o projeto, o Governo planeja injetar R$ 572 milhões na infraestrutura energética em Lages, Painel, Campo Belo, Urubici, Matos Costa e Rio do Campo. As obras serão executadas pela Celesc. Com o aumento da infraestrutura, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e centrais geradoras hidrelétricas (CGHs) poderão se conectar ao sistema elétrico, o que deve melhorar a oferta de energia limpa para toda a região e incentivar novos negócios.

 

Nova rede deve gerar R$ 3 bilhões em investimentos

A projeção de investimentos privados a partir da implementação da nova rede elétrica é de pouco mais de R$ 3 bilhões. Serão mais 300 MW de potência instalada em fontes renováveis hídricas — com possibilidade de investimentos futuros em fontes de energia eólica, solar e biomassa.

A expectativa é gerar cerca de 19 mil empregos nos próximos 3 anos somente na construção das PCHs/CGHs. O cronograma de implantação é de até 36 meses. As projeções são baseadas em um estudos e estimativas feitas pelo setor.

> Estação inverno: confira as novidades no turismo da Serra Catarinense

“Ao melhorarmos a infraestrutura no Planalto Serrano, aumentamos também a rede de energia elétrica trifásica. Este projeto será um divisor de águas porque irá movimentar toda a economia da região. Com mais energia disponível, evitamos que os agricultores e pecuaristas tenham perdas na produção, fortalecemos a indústria, movimentamos o turismo, garantimos mais emprego e renda para milhares de famílias catarinenses. Será uma nova era de desenvolvimento para a região”, disse o governador Jorginho Mello.

Secretário de Estado da Fazenda, Cleverson Siewert destacou que a combinação de recursos públicos e dos investimentos privados será revertida em projetos com reflexos positivos na geração de empregos e na arrecadação estadual. “As projeções nos mostram que serão R$ 290 milhões em impostos municipais, estaduais e federais em 36 meses, a partir da realização das obras. Ou seja, o Governo do Estado investe agora, incentiva o desenvolvimento de toda a região e cria também novas receitas para os cofres públicos porque os recursos voltarão para o caixa em um prazo relativamente curto”, afirmou o secretário.

Programa será gerido por comitê multidisciplinar

O Energia Boa é desenvolvido em conjunto entre a Celesc, a Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) e a Secretaria da Indústria, Comércio e Serviços (SICOS). O programa também conta com o apoio da Associação dos Produtores de Energia de Santa Catarina (Apesc), entidade sem fins lucrativos que une mais de 100 empresas produtoras de energia e atua junto aos órgãos governamentais para a promoção de energias renováveis.

O Presidente da Celesc, Tarcísio Rosa explicou que o Energia Boa é um programa que nasce para potencializar a vocação de Santa Catarina para gerar energia sustentável. “Somos referência para o Brasil, sendo o Estado com a maior quantidade de usinas hidrelétricas em operação e com a cadeia produtiva completa para implantar projetos voltados à geração de energia limpa”, destacou o presidente.

> Siga nosso canal no WhatsApp e receba as notícias do TVBVonline em primeira mão

A Secretaria de Indústria, Comércio e Serviço (SICOS), liderada por Silvio Dreveck, será responsável pela coordenação do programa. Um comitê multidisciplinar será encarregado pela seleção de projetos e supervisão do Energia Boa. As diretrizes estabelecidas pelo comitê incluem a colaboração entre entes públicos e privados, a simplificação dos processos para aprovação de projetos energéticos e a concessão de incentivos fiscais. Além disso, serão criados mecanismos para priorizar e facilitar a tramitação de processos relacionados a projetos de eficiência energética e geração de energia renovável.

“Estamos muito entusiasmados com o Programa Energia Boa. Investir em energias renováveis é pensar no futuro de uma forma responsável, tendo consciência da importância da questão ambiental envolvida e também com dados concretos de que o setor é um excelente gerador de empregos. Além disso, o programa tem o compromisso de levar desenvolvimento para regiões estratégicas na economia de Santa Catarina, reduzindo custos e garantindo a segurança energética que as nossas indústrias necessitam para continuarem crescendo e sendo referência nacional”, destacou o secretário Silvio Dreveck.