17 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Saúde

Morte de bebê de 8 meses gera investigação de negligência médica em Itapoá

Criança e idoso foram liberados do pronto atendimento com quadros clínicos graves

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) instaurou um procedimento para apurar supostos casos de negligência média ocorridos no pronto atendimento 24 hora de Itapoá, no Litoral Norte do estado. Segundo a notícia de fato, um paciente idoso e outro de 8 meses de idade foram liberados em diversas ocasiões com quadros clínicos graves, o que culminou na morte da criança.

Ainda segundo a denúncia, o bebê teria passado por três atendimentos consecutivos na UPA de Itapoá. Os médicos supostamente informaram que ele não tinha nenhum sintoma. No entanto, a criança passou mal novamente em casa e foi levada ao Hospital Infantil em Joinville, onde precisou ser entubada. Após exames, foi os médicos descobriram que ela tinha uma infecção generalizada e broncopneumonia em estado avançado, que acabou levando a criança o bebê a óbito.

Já o paciente idoso compareceu à unidade de pronto atendimento com fortes dores abdominais. Após receber alta médica e continuar com os sintomas, ele retornou à unidade, onde foi constatada uma apendicite em estado avançado. Ele foi levado ao Hospital São José, onde passou por cirurgia.

 

No procedimento instaurado pela 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Itapoá, foram solicitados esclarecimentos detalhados sobre o caso à administração da UPA de Itapoá e à Secretaria de Saúde do município. Além disso, o Poder Executivo municipal foi oficiado para informar quais providências estão sendo adotadas em relação ao caso.

Os órgãos públicos têm 48 horas para prestar as informações requeridas pelo MPSC e encaminhar os dados sobre a qualificação completa dos profissionais de saúde que prestaram os atendimentos e os prontuários médicos dos dois pacientes.

O Promotor de Justiça Caio Rothsahl Botelho, titular da 1ª Promotoria de Justiça, destaca que “a saúde é um direito de todos e dever do Estado, garantido pela Constituição Federal. O MPSC continua a investigar o caso para garantir que esse direito seja respeitado”.

No município de Barra Velha, também no Litoral Norte catarinense, o MPSC apura outro caso de negligência médica no atendimento prestado pelo Pronto Atendimento de Barra Velha, no Litoral Norte do estado, a uma criança que teria falecido por dengue hemorrágica.

 

Foto: Reprodução