25 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Saúde

Santa Catarina bate recorde de cirurgias eletivas realizadas em 2023

Foram mais de 200 mil procedimentos ao longo do ano

Mais de 200 mil pacientes passaram por cirurgias eletivas em Santa Catarina em 2023. Desses, aproximadamente 125 mil foram operados com internação e 76 mil foram cirurgias oftalmológicas ambulatoriais, sendo que 45 mil foram de catarata. O número representa um recorde no estado.

Para realização dos procedimentos o Governo de Santa Catarina investiu um total de R$240 milhões. Os números refletem a estratégia na redução das filas, por meio do Programa Estadual de Cirurgias Eletivas “Fila Zero”.

Uma das pacientes é Maria Lucia de Aguiar, de 66 anos, moradora de São José, na Grande Florianópolis. Ela aguardava desde 2018 por uma cirurgia ginecológica de histerectomia (remoção do útero) e suspensão da bexiga, que foi realizada no dia 27 de junho, na Maternidade Carmela Dutra (MCD), na capital.

“Sofri muito todos esses anos, não conseguia urinar, sentia dores fortes e tomava muitos remédios. Fui encaminhada de um hospital pra outro, até que no ano passado consegui fazer a cirurgia na Carmela e graças a Deus deu tudo certo. Lá é um dos melhores lugares que fui atendida até hoje. Os profissionais, médicos, enfermeiros, toda a equipe é nota 10. O cuidado que eles têm com a gente é ótimo. Agora, tenho uma nova vida, só não posso erguer peso”, reforça dona Maria.

Já para a moradora de Ituporanga, Marlene de Oliveira Nogueira, de 63 anos, a espera por uma cirurgia ortopédica durou 3 anos. O procedimento foi realizado no Hospital Nossa Senhora do Prazeres, em Lages. “Fiz cirurgia de quadril. Sentia dor, mas a gente acostuma, né. A cirurgia pra mim foi muito boa, vou poder andar sem muleta”, explica.

“Esse trabalho que desenvolvemos junto com as unidades de saúde, com ampliação dos prestadores e habilitações de novos serviços, além de um empenho do governo através das equipes de saúde, reflete no crescimento contínuo do número de cirurgias. O trabalho segue, mas os resultados já podem ser vistos”, disse a secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto.

O maior número de cirurgias realizadas esse ano foi do aparelho geniturinário, remoções de útero, e do aparelho digestivo, incluindo hérnias e vesículas, totalizando 55.332 procedimentos. Em seguida, as cirurgias oncológicas, com 15.289; e, na sequência, as ortopédicas, com 15.057.

Para chegar a esses resultados, o Governo do estado tomou uma série de medidas desde o início de 2023. Ações incluíram agendas diretas com secretários municipais de saúde e os hospitais prestadores de serviços, além de uma reorganização na distribuição dos pacientes nas regiões do Estado.

Também foram priorizados os pacientes oncológicos, a ampliação dos prestadores de serviços com novas habilitações estaduais na cardiologia (7 novas habilitações e 4 ampliaram o serviço) e 13 novas em ortopedia, além do aumento de 150 leitos de UTI, gerando maior capacidade para realizar cirurgias eletivas nas unidades.

Do Tesouro do Estado foram investidos R$120 milhões, conforme autorizado pelo Governador Jorginho Mello. Também foram aportados recursos dos poderes da Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas do Estado, Tribunal de Justiça e Ministério Público que disponibilizaram R$30 milhões; R$50 milhões da Bancada Federal de Santa Catarina no ano de 2022; e R$40 milhões da Política Nacional de Redução de Filas para o enfrentamento das cirurgias eletivas.

Para 2024, estão projetados R$650 milhões de valores fixos (Pré-fixado), além do valor pago por produção, por meio do programa de Valorização dos Hospitais e a Tabela Catarinense, lançado pelo Governo do Estado em dezembro do ano passado.

“Estamos com o programa de Valorização dos Hospitais com pagamento regular e automático aos hospitais e prestadores de serviço do SUS, e a Tabela Catarinense que vai nos ajudar, ainda mais, na realização dos procedimentos e dar mais celeridade, em especial, das cirurgias urológicas e ortopédicas no nosso estado”, finaliza Carmen Zanotto.

 

Foto: Ricardo Trida/SECOM