15 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Saúde

SC tem 47 municípios com alto risco de transmissão de dengue; veja quais

Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) revela que 46% dos municípios catarinenses estão em alerta vermelho para a doença

O boletim epidemiológico sobre o Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) deste ano revela que 47 municípios de Santa Catarina apresentam alto risco de transmissão de dengue. Outros 69 municípios apresentam médio risco e 34, baixo risco. No ano passado, era 41 o número de cidades com alto risco de transmissão da doença.

Os resultados do LIRAa auxiliam a entender o cenário de transmissão das arboviroses no estado. Os municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti precisam realizar o levantamento para a identificação de áreas com maior proporção/ocorrência de focos, bem como dos criadouros predominantes, indicando o risco de transmissão de dengue, chikungunya e Zika.

Neste ano, 155 municípios foram orientados a realizar o LIRAa. Porém, três deles (Apiúna, Itajaí e Penha) não realizaram a atividade devido ao aumento de casos de dengue, cenário que já indica um alto índice de infestação. Nesse caso, foi acordado com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) a não realização da atividade. Os municípios de Canelinha e Trombudo Central também não realizaram a atividade. Com isso, a atividade do LIRAa deste ano foi realizada por 150 municípios.

 

“Os dados demonstraram um aumento significativo nos municípios classificados com médio risco. Em março de 2023 foram 38,4% dos municípios nessa condição, enquanto este ano o percentual subiu para 46%. Também ocorreu aumento dos municípios classificados em alto risco. Este cenário reflete a realidade que o estado vem enfrentando no ano de 2024 com o aumento de 650% dos casos prováveis de dengue quando comparado ao mesmo período do ano anterior”, alerta João Augusto Brancher Fuck, diretor de vigilância epidemiológica do estado.

Confira a lista de municípios em alto risco de transmissão da dengue:

  • Abelardo Luz
  • Água Doce
  • Águas de Capecó
  • Águas Frias
  • Alto Bela Vista
  • Anchieta
  • Araquari
  • Balneário Camboriú
  • Bom Jesus
  • Bombinhas
  • Brusque
  • Camboriú
  • Chapecó
  • Coronel Freitas
  • Coronel Martins
  • Erval Velho
  • Faxinal dos Guedes
  • Formosa do Sul
  • Garuva
  • Guabiruba
  • Guarujá do Sul
  • Herval d’Oeste
  • Ilhota
  • Ipira
  • Iraceminha
  • Itapema
  • Joinville
  • Lajeado Grande
  • Luzerna
  • Modelo
  • Mondaí
  • Paraíso
  • Passos Maia
  • Piratuba
  • Porto Belo
  • Porto União
  • Quilombo
  • Riqueza
  • Santiago do Sul
  • São Carlos
  • São Domingos
  • São José do Cedro
  • São Lourenço do Oeste
  • São Ludgero
  • São Miguel do Oeste
  • Tigrinhos
  • Xanxerê

Além de apresentar o risco de transmissão das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, o LIRAa fornece informações referentes a quantidade e o tipo de recipientes inspecionados, ou seja, locais que apresentam água, e que podem servir como criadouros para reprodução do mosquito. Foram inspecionados 148.318 depósitos, o que representa um aumento de 17,7% em relação ao LIRAa de 2023, quando foram inspecionados 126.003 depósitos.

Do total de objetos averiguados, a maioria (39%) era de recipientes móveis, como pratinhos de plantas e baldes, seguidos por lixo e sucata (30,1%) e os recipientes fixos como calhas e piscinas (14,8%).

 

Foto: Agência Brasil