18 de abril de 2024
TV Barriga Verde
Rodrigo C. Medeiros

Reserva de emergência – o que é, de quanto deve ser e onde...

Reserva de emergência é uma economia feita para ser capaz de possibilitar o investidor a passar por momentos de queda repentina de sua renda ou um aumento não previsto dos seus custos.

Ter uma reserva de emergência não é algo só sobre finanças, mas sobre aspectos psicológicos também. Ter uma reserva de emergência pode permitir você a tratar melhor questões de trabalho, pois está preparando para uma redução salarial ou até mesmo uma perda de emprego, sem que isso lhe afeta demasiadamente. Ter uma reserva de emergência é essencial para a sua saúde mental em dia.

A reserva de emergência não serve apenas para episódios envolvendo a perda de emprego, mas também um problema de saúde e a necessidade de recursos para um tratamento rápido ou um remédio caro.

De quanto deve ser a reserva de emergência

A recomendação usual é que as pessoas tenham entre 6 e 12 meses de suas despesas mensais em reserva de emergência. Exemplo. Digamos que uma pessoa gaste R$ 2 mil por mês, assim, a sua reserva de emergência deveria ser entre R$ 12 mil e R$ 24 mil.

A situação individual de cada pessoa vai definir se deve ter mais ou menos. Uma pessoa com filho pequeno deverá ter uma reserva de emergência maior, pois uma criança recém-nascida tem uma maior probabilidade de gerar despesas não previstas. Uma pessoa com alguma doença que necessite de cuidados especiais, como diabetes, também seria importante estar na faixa mais alta de reserva de emergência.

O importante é que tenha consciência de todas as despesas mensais e buscar ter entre 6 e 12 meses.

Onde investir

Reserva de emergência é dinheiro rápido e o valor investido não pode oscilar de patrimônio. Assim, a recomendação é que se invista em títulos bancários, como CDB, LCI ou LCA, sempre com liquidez muito curta, preferencialmente diária. Ou seja, não há prazos para sacar, podendo sacar a qualquer momento. Outra opção é o Tesouro Selic, que tem essas características.

Esses investimentos possuem a características de que quando for necessário resgatar os recursos, eles serão aqueles investidos, acrescido de juros, sem oscilações, como pode ocorrer com um Tesouro Direto pré-fixado, uma bolsa de valores ou outros investimentos semelhantes.

É importante que antes de investir na bolsa de valores o investidor tenha uma reserva de emergência.

Todos devem ter?

Quase todos. Com exceção de servidores públicos concursados, com baixa idade e sem filhos, os demais todos devem ter. Esta categoria específica, de servidores públicos concursados, com baixa idade e sem filhos estão menos propensos a ter uma redução de sua renda ou um aumento de suas despesas, o que lhes permite não ter uma reserva de emergência e ampliar os seus investimentos.

O tema é polêmico; no entanto, acredito que seja um risco X retorno tolerável e bem interessante. Apenas para este perfil.

Se você não tem este perfil, você deveria ter reserva de emergência.

Foto: Freepik/Reprodução

Rodrigo C. Medeiros

Rodrigo C. Medeiros

Rodrigo C. Medeiros

Rodrigo C. Medeiros

Rodrigo C. Medeiros

Rodrigo C. Medeiros