23 de julho de 2024
TVBV ONLINE
Saúde

Santa Catarina tem 33 hospitais com leitos de UTI públicos lotados

Unidades somam mais de 1,2 mil pacientes internados, número alavancado pela dengue e síndromes respiratórias

Por Fernando Bortoluzzi / Portal TVBV

Os hospitais de Santa Catarina estão com sinal de alerta ligado para a superlotação nas Unidades de Terapia Intensiva. Nesta terça-feira (9), um total de 33 hospitais estão com os leitos de UTI públicos com 100% de ocupação. Os dados são do Painel de Leitos de UTI SUS da Secretaria de Estado da Saúde.

As regiões que mais sofrem com a superlotação são a Grande Florianópolis, a Foz do Rio Itajaí e o Vale do Itajaí, todos com 100% de lotação na UTI Adulto. Já as Unidades da região do Planalto Norte e Nordeste contam com uma única vaga restante. Juntos, os hospitais dessas regiões somam 559 pacientes internados em leitos de UTI públicos.

 

Além destes, as alas de UTI Neonatal de todo o Grande Oeste e das Foz do Rio Itajaí, e UTI Pediátrica também do Grande Oeste e da Grande Florianópolis, também estão com todos os leitos públicos ocupados.

Ao todo, 33 hospitais de Santa Catarina apresentam superlotação da UTI pública nesta terça-feira (9). Foto: Reprodução/Portal TVBV

O maior volume de pacientes internados se dá também no maior complexo hospitalar do estado, o Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen, de Itajaí. Todos os 55 leitos de UTI estão indisponíveis. Em novembro do ano passado, o Governo do Estado inaugurou uma nova ala na unidade, onde foram abertos 20 leitos de UTI Adulto e 10 de UTI Neonatal.

Dengue e síndromes respiratórias intensificam ocupação hospitalar

No total, o estado possui atualmente 1.299 leitos de UTI ativos pelo Sistema Único de Saúde. Segundo os dados atualizados nesta terça-feira, 1.208 estão ocupados, o que representa cerca de 93% da capacidade. Já a ocupação de leitos de enfermaria nos hospitais públicos de Santa Catarina está em 63%.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), a atual superlotação acontece em decorrência do aumento sazonal de doenças respiratórias, em paralelo com a epidemia de dengue, que já causou mais de 126 mil casos prováveis em todo o estado, o que tem refletido na maior busca por atendimentos no sistema de saúde. Do total das UTIs oferecidas pelo SUS, 14 pacientes estão em tratamento de Covid-19.

Em nota, a SES explica que os hospitais de grande porte que atendem pelo SUS, como é o caso do Marieta Konder Bornhausen, são centros de referência para procedimentos de alta complexidade e oferecem acesso porta aberta a todas as especialidades médicas. Consequentemente, é comum que as Unidades de Terapia Intensiva tenham uma taxa de ocupação geralmente superior a 80% nesses hospitais.

A Secretaria de Estado da saúde destaca ainda a baixa procura pelas vacinas contra a dengue e a gripe, disponíveis na rede pública para grupos elegíveis. Crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos já podem ser imunizadas contra a dengue nos municípios da Região de Saúde da Grande Florianópolis e Nordeste, enquanto mais de 3 milhões de catarinenses estão aptos a receber a vacina trivalente que protege contra os vírus influenza A (H1N1), influenza A (H3N2) e influenza B.

“Reiteramos que o Governo do Estado vem trabalhando junto à SES para a ampliação de leitos em todo o Estado. Somente em 2023, foram abertos 150 leitos de UTI distribuídos em diversas regiões. Destes, 41 são pediátricos, 53 neonatais e 52 para adultos. Em abril deste ano, já foram abertos mais 8 leitos de UTI adulto em Caçador. Ainda estão previstos, para abril e maio, a entrega de mais 10 leitos de UTI em Joaçaba, 15 em Lages e 5 em Chapecó. Assim, chegaremos a 188 novos leitos adicionados à estrutura existente, garantindo o atendimento pleno aos pacientes graves e acesso amplo aos serviços de saúde. Importante destacar que o sistema hospitalar público de Santa Catarina funciona em forma de rede. Quando não há vaga em um hospital, busca-se leito, via Regulação, em outros hospitais, primeiro na região e depois fora dela”, conclui a nota da Secretaria de Estado da Saúde.

 

Foto: Prefeitura de Itajaí/Reprodução